Perfil de glicoesfingolipideos e (glico)proteinas em lesoes apicais de origem endodontica tratadas com hidroxido de calcio

Perfil de glicoesfingolipideos e (glico)proteinas em lesoes apicais de origem endodontica tratadas com hidroxido de calcio

Título alternativo Glycosphingolipids and (glyco)proteins profile of the apical lesions treated with calcium hidroxyde
Autor Kherlakian, Daniel Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Nesta tese foram analisados os perfis de glicoesfingolipideos (GSLs) e (glico)proteinas de lesoes apicais de origem endodontica tratadas e nao tratadas com hidroxido de calcio. Diferencas qualitativas e quantitativas foram observadas no padrao de GSLs, entre lesoes de origem endodontica tratadas ou nao com hidroxido de calcio. Esta diferenca pode estar relacionada com o efeito do medicamento, no processo inflamatorio/infeccioso que ocorre na regiao perirradicular de dentes que apresentam area de lesao ossea de origem endodontica. Em lesoes tratadas com hidroxido de calcio observou-se a diminuicao de CDH, CTH, globosideo, GM3, GD3, GM1 e aumento de GT1b, em relacao a lesoes nao tratadas. Por eletroforese em gel de poliacrilamida na presenca de dodecil sulfato de sodio (PAGE-SDS), detectou-se a presenca de componentes de massa molecular de 218 kDa, 60 kDa e 29 kDa, em quantidades mais significativas em lesoes que receberam o tratamento com hidroxido de calcio, quando comparadas com lesoes que nao receberam o medicamento. Estes dados sugerem que em lesoes medicadas, alteracoes na sintese proteica e padrao de glicosilacao estariam sendo promovidos pelo hidroxido de calcio. O componente de 218 kDa, presente em quantidade significativamente maior nas lesoes tratadas com hidroxido de calcio em comparacao com lesoes nao medicadas, foi analisado por Western blotting, e sua reatividade com o MoAb CU-1 (epitopo a-GaINAcSer) e com a lectina de Lens culinaris (ligante a-GaINAC), mostrou de forma clara, que este componente e uma glicoproteina do tipo mucina. Exames anatomo-patologicos realizados nas amostras tratadas e nao tratadas com hidroxido de calcio, apresentaram diferencas histologicas evidentes, caracterizadas por uma area mais inflamada, nas lesoes nao tratadas com hidroxido de calcio, contrastando com as lesoes que receberam o medicamento, que apresentavam uma regressao do processo inflamatorio
Assunto Glicoesfingolipídeos
Hidróxido de Cálcio
Glicoproteínas
Endodontia
Idioma Português
Data 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 80 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 80 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18194

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)