Avaliacao da gordura visceral e alteracoes metabolicas e hemodinamicas associadas a obesidade e hipertensao arterial

Avaliacao da gordura visceral e alteracoes metabolicas e hemodinamicas associadas a obesidade e hipertensao arterial

Título alternativo Evaluation of the visceral fat and metabolic and hemodynamic alterations associated to obesity and to arterial hypertension
Autor Gregorio, Marcia Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A hipertensao arterial integra a sindrome de resistencia a insulina, sendo nesta condicao frequentemente associada a obesidade abdominal. Os objetivos do presente estudo foram de avaliar as relacoes entre hipertensao arterial, quantidade de gordura visceral, resistencia a insulina e niveis sericos de leptina em pacientes hipertensas nao obesas, comparando-as as mulheres normotensas nao obesas e a pacientes obesas portadoras ou nao de hipertensao arterial. Para tanto foram estudados quatro grupos de mulheres com e sem obesidade (IMC >_ 30 Kg/m2), subdivididos de acordo com a presenca de hipertensao arterial (pressao arterial sistolica >_ 140mmHg ou pressao arterial diastolica >_ 90mmHg ou em uso da medicacao antihipertensiva), com idade entre 18 e 65 anos . As pacientes foram submetidas a medidas antropometricas, avaliacao da pressao arterial, determinacao do perfil lipidico do plasma ,acido urico plasmatico, teste oral de tolerancia a glicose com dosagens de insulina plasmatica antes e 120 minutos apos sobrecarga de glicose, leptina plasmatica, avaliacao da composicao corporal pela bioimpedanciometria e avaliacao da gordura visceral pela ultrasonografia. Comparando os dois grupos de pacientes obesas, verificamos maior centralizacao de gordura corporal nas obesas hipertensas (OB-HT), caracterizada por um maior valor da relacao cintura-quadril (0,91n0,07 vs 0,86n0,07; p<0,05), niveis maiores da glicemia apos 120 minutos da sobrecarga de glicose(142,0n38,8 vs 115,6+28,1mg/dl ;p<0,05) caracterizando maior intolerancia a glicose, e maior valor do indice HOMA r, caracterizando maior resistencia hepatica a insulina (4,76 n2,98 vs 3,14n1,30 mmol.mU/L2 ;p <0,05). Considerando apenas as pacientes do grupo de OB-HT, correlacao significante foi observada entre as medidas da gordura visceral e os niveis da pressao arterial sistolica (r=0,51;p=0,03). Ja avaliando os dois grupos de nao obesas , o indice de sensibilidade a insulina, o ISI, mostrou-se...(au)
Assunto Hipertensão
Obesidade
Resistência à Insulina
Idioma Português
Data 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 51 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 51 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18192

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)