Comparacao da antropometria, bioimpedancia e densitometria (DEXA) como metodo de avaliacao nutricional e composicao corporal em pacientes ambulatoriais portadores de doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC)

Comparacao da antropometria, bioimpedancia e densitometria (DEXA) como metodo de avaliacao nutricional e composicao corporal em pacientes ambulatoriais portadores de doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC)

Título alternativo Comparison of anthropometry, bioeletrical impedance and densitometry (DEXA) as nutritional assessment and body composition methods in chronic obstructive pulmonary disease(COPD)
Autor Lerario, Maria Cristina de Souza Campos Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: E conhecido que pacientes com doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC) em estagio avancado perdem peso, principalmente massa muscular, sendo esta alteracao ponderal integrante do quadro clinico da bronquite cronica e enfisema. Muitos fatores ja conhecidos podem contribuir para esta perda de peso. E imprescindivel a avaliacao nutricional e o conhecimento dos compartimentos corporeos destes pacientes. Objetivo: Descrever o estado nutricional e comparar a antropometria, a bioimpedancia em relacao a densitometria (dual-energy X-ray absormetry - DEXA) como metodos de avaliacao nutricional e composicao corporal em pacientes ambulatoriais portadores de (DPOC). Metodologia: O presente estudo analisou 61 pacientes com DPOC (42 homens e 19 mulheres). Foram avaliadas na espirometria o VEF1 e na gasometria a Pa02e PaC02; a composicao corporal foi avaliada pela antropometria, bioimpedancia e densitometria - DEXA. Resultados: Observou-se que 34,4 por cento dos pacientes apresentavam obstrucao bronquica leve, 31,2 por cento moderada e 34,4 por cento grave, segundo o VEF1 por cento. Pelo indice de massa corporea IMC, 45,9 por cento dos pacientes apresentaram-se eutroficos, 27,9 por cento, com baixo peso e 26,2 por cento, obesos. As mulheres apresentaram menores valores de massa magra ( por cento e kg), massa de gordura ( por cento) e indice de massa magra (kg/m2) do que os homens (p< 0,001) nao apresentando diferenca significante em relacao a massa de gordura (kg). A reprodutibilidade da variavel massa magra (kg) quando analisados os tres metodos, apresentou a 0,98, p < 0,001 e o coeficiente de correlacao para a mesma medida demonstrou alta confiabilidade para a correlacao entre a antropometria e a bioimpedancia (r= 0,94, p< 0,001), antropometria e densitometria (r= 0,96, p<0,001) e bioimpedancia e densitometria (r= 0,95 , p<0,001). Conclusao: Concluiu-se que o estado nutricional dos pacientes analisados mostrou para a grande maioria a eutrofia, sendo seguidos em numeros semelhantes pela obesidade e baixo peso; a composicao corporal estimada pela bioimpedancia e a antropometria apresenta boa reprodutibilidade e boa correlacao com a densitometria (DERA), mas a bioimpedancia, por apresentar menor dispersao de valores, deve ser preferivel a antropometria; os pacientes do sexo feminino apresentaram-se em maior numero em relacao ao baixo peso e a deplecao muscular; as mulheres ainda apresentaram maior quantidade de...(au)
Assunto Pneumopatias Obstrutivas
Avaliação Nutricional
Antropometria
Impedância Elétrica
Absorciometria de Fóton
Idioma Português
Data 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 102 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 102 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18101

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)