Biometria do canal óptico em crânios humanos nos períodos pré e pós-natal

Biometria do canal óptico em crânios humanos nos períodos pré e pós-natal

Título alternativo Biometry of the human skulls optic canal in the pre and postnatal period
Autor Almeida Prado, Patricia Shirley de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Angelis, Marco Antonio de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O osso esfenoide e uma estrutura bastante complexa e seu desenvolvimento ocorre de forma diferente para cada uma de suas partes. Dado que varias tecnicas cirurgicas endoscopicas usam o canal optico, estrutura ossea da regiao orbital pertencente a asa menor do osso esfenoide, como passagem, seu estudo e de grande interesse anatomico. Com o objetivo de se fazer o estudo dimensional do canal optico nos diversos periodos do seu desenvolvimento e determinar seu padrao de simetria, foram feitos moldes de silicone de 146 canais opticos, dos lados direito e esquerdo, utilizando-se 51 cranios macerados e 22 ossos isolados, pertencentes a colecao do Museu de Anatomia da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM). A amostra foi dividida em tres grupos: feto, crianca e adulto, com idade variando entre 7 meses de vida intra-uterina e 68 anos. Utilizando-se paquimetro digital ajustado em milimetros, foram realizadas as medidas de comprimento e diametro (orbital e craniano) do canal optico nos moldes de silicone. Foram obtidos os seguintes resultados para os lados direito e esquerdo (medias), respectivamente: a) diametro orbital maior: feto, 4,68mm e 4,47mm; crianca, 5,51 mm e 5,41 mm; adulto, 5,43mm e 5,34mm; b) diametro orbital menor: feto, 2,89mm e 2,84=; crianca, 3,54mm e 3,61 mm; adulto, 3,78mm e 3,73mm; c) diametro da porcao craniana do canal optico: feto, 3,79mm e 3,76mm; crianca, 4,67mm e 4,72mm; adulto, 5,24mm e 5,43mm; d) comprimento do canal optico: feto, 3,27mm e 3,05mm; crianca, 3,93mm e 3,71 mm; adulto, 4,94mm e 5,21 mm. A analise das medidas tomadas mostrou que o diametro da porcao craniana cresce durante as fases fetal, infantil e adulta. Ja os diametros orbitais maior e menor desenvolvem-se nas fases fetal e infantil e, a partir dai, seu tamanho permanece praticamente o mesmo. Em contraste, o comprimento do canal optico inicia seu crescimento propriamente dito a partir da fase infantil. A analise estatistica mostrou que o diametro orbital maior do lado direito era significantemente maior que o do lado esquerdo em todos os grupos; para as outras variaveis mensuradas nao houve assimetria significante. Tambem foi observada neste estudo a ocorrencia de variacoes anatomicas do canal optico como figura em 8 (2,38 por cento). canal caroticoclinoide e canal interclinoide (58,97 por cento)
Palavra-chave Osso esfenóide
Biometria
Crescimento
Idioma Português
Data de publicação 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 69 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 69 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17957

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta