Galectina-3 atua como modulador da progressao tumoral de sarcomas experimentais: evidencias de seu envolvimento na tumorigenese e migracao celular

Galectina-3 atua como modulador da progressao tumoral de sarcomas experimentais: evidencias de seu envolvimento na tumorigenese e migracao celular

Título alternativo Galectin-3 in experimental sarcoma tumor progression: evidence for its involvement in tumorigenesis and cell migration
Autor Melo, Fabiana Henriques Machado de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Ao longo do processo de transformacao de fibroblastos, ha acumulo de galectina-3 nas celulas transformadas. Assim sendo, neste projeto, pretendeu-se avaliar o papel de galectina-3, no processo de transformacao maligna de celulas de origem mesenquimal, com enfase na capacidade migratoria em superficies de laminina-1. Os primeiros resultados mostraram que as celulas NIH-3T3 transfectadas com o oncogene EJ-ras (celulas CCR2) tem a sua capacidade migratoria inibida pela presenca de 50 e 100 mM de lactose. Demonstramos que celulas mesenquimais embrionarias dos animais galectina3 -/-, migram menos em superficies de laminina-1 que as celulas mesenquimais embrionarias dos animais galectina-3 +/+. Em seguida, nesses animais foram induzidos sarcomas com o carcinogeno quimico metilcolantreno. O desenvolvimento dos tumores foi acompanhado; animais apresentando tumores foram sacrificados e os tumores excisados com o objetivo de se estabelecer linhagens derivadas destes sarcomas. Foram selecionados os clones que apresentaram maior taxa de proliferacao. Aqui, mostramos que os animais galectina-3 -/- sao mais resistentes a inducao de tumores pelo metilcolantreno do que os animais galectina-3 +/+. Os clones derivados dos tumores dos animais selvagens (linhagens S) e dos animais nulizigotos (linhagens a) foram avaliados quanto a presenca de a6b1 integrina na superficie. Os resultados mostraram que ambas as linhagens expressam a mesma quantidade de NP1 integrina na superficie. Em seguida, a capacidade migratoria e adesiva destas celulas em superficies de laminina-1 foi avaliada. As celulas S11 e S12 apresentaram maior capacidade migratoria em superficies de laminina-1 do que as celulas a 12. A capacidade migratoria da celulas S11 e diminuida na presenca de 50 e 100mM de lactose e e abolida na presenca do anticorpo inibitorio anti-a6 GOH3. As celulas a12 sao mais aderentes a laminina-1 do que as celulas S11 e S12. Para confirmar o papel modulalorio da galectina-3 no processo de migracao celular, as celulas a 12 foram transfectadas transitoriamente com o plasmideo pEF1neo-gal3 que contem o gene da galectina-3. Apos 48 horas da transfeccao, a capacidade migratoria e adesiva das celulas foi analisada...(au)
Palavra-chave Sarcoma
Movimento Celular
Laminina
Idioma Português
Data de publicação 2002
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2002. 151 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 151 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17951

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta