Estudo clínico e histopatológico da hipercromia cutânea idiopática da região orbital

Estudo clínico e histopatológico da hipercromia cutânea idiopática da região orbital

Título alternativo Clinical and histopatological study of cutaneous odiopathic hyperchromia of the orbital region
Autor Graziosi, Antonio Carmo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia Translacional – São Paulo
Resumo INTRODUÇAO: A hipercromia cutânea idiopática da regiao orbital (HCIRO) caracteriza-se pelo escurecimento da pele palpebral e orbital bilateral, nao secundário a doenças sistémicas ou locais de causa conhecida e que contrasta com a pele facial adjacente. Uma revisao sistemática da literatura mostrou uma escassez de publicaçoes sobre o assunto. Os artigos encontrados nao contribuíram para o esclarecimento da etiopatogenia, definiçao adequada da anomalia e classificaçao clínica ou histológica. OBJETIVO: Classificar clinicamente HCIRO - desenvolvimento de uma escala. Determinar as alteraçoes histopatológicas da HCIRO. Testar se há correlaçao clínico-histológica da HCIRO CAUSTICA E MÉTODO: Vinte e oito pacientes que preenchiam os critérios de inclusao e exclusao foram selecionados consecutivamente para este estudo. 0 desenho do estudo foi observacional transversal. Foram utilizados protocolos para avaliaçao clínica e histológica. Para a avaliaçao clínica foram desenvolvidas 2 escalas (DP e PC) para classificaçao da intensidade e testada a sua reprodutibilidade intra e interobservadores (cálculo do Kappa). Para a avaliaçao histológica foi utilizada uma biópsia cutânea da pálpebra hipercrômica e da regiao posterior da orelha de todos os indivíduos. Para a leitura das lâminas foi desenvolvido um protocolo padronizado. Para testar se havia correlaçao entre as intensidades clínicas e histológicas foi criado um método (Método 1). Para descrever as alteraçoes encontradas na HCIRO foi criado um segundo método (Método 2). RESULTADOS: Foi possível observar o grande impacto social devido à HCIRO. Foi constatado que haviam situaçoes em que a intensidade da hipercromia aumentava ou reduzia. A reprodutibilidade intraobservador da escala DP foi de 0,0226 (p=0,4364) para o observador 1 e 0,0226 (p=0,4250) para o observador 2. Com a escala PC, a reprodutibilidade intraobservador foi de - 0,0171 (p=0,5475) para o observador 1 e 0,7714 (p=0,0000) para o observador 2. A reprodutibilidade interobservadores, no tempo 1, para a escala DP foi de 0,7137 (p=0,0000) e 0,7700 (p=0,0000) no tempo 2. Para a escala PC a reprodutibilidade interobservadores no tempo 1 foi de 0,0305 (p=0,4118) e 0,7627 (p=0,0000) no tempo 2. A frequência de concordância entre o diagnóstico clínico (02T2) e o histológico (somente derme papilar) foi de 39,28 por cento para escala PC e 53,57 por cento para a escala DP. Com relaçao ao...(au).
Assunto Hiperpigmentação
Pálpebras
Idioma Português
Data 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 93 p. ilustab.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 93 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17879

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)