Expressao de antigeno D8/17 em linfocitos B de pacientes brasileiros com febre reumatica e sindrome de tourette

Exibir registro simples

dc.contributor.author Gomes, Sonia Maria Cesar de Azevedo Moura Magalhaes [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T23:02:02Z
dc.date.available 2015-12-06T23:02:02Z
dc.date.issued 2002
dc.identifier.citation São Paulo: [s.n.], 2002. 79 p. tabgraf.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17837
dc.description.abstract A caracterizacao de um marcador de susceptibilidade genetica por uma doenca permite uma maior compreensao sobre os mecanismos fisiopatologicos etiopatogenicos nela envolvidos.As similaridades entre a Sindrome de Tourette e a Coreia de Sydenham, manifestacao maior da Febre Reumatica, no que diz respeito a etiopatogenia, presenca de mesmas comorbidades e alteracoes imunologicas, suscitou interesse para pesquisa da existencia de um marcador antigenico comum a estas duas condicoes. Em Febre Reumatica, alguns autores estabeleceram a presenca em aproximadamente 100 por cento dos pacientes, de um antigeno em linfocito B, o antigeno D8/17, considerado marcador de susceptibilidade para esta doenca.0 objetivo deste trabalho foi estudar o mesmo marcador em pacientes com Sindrome de Tourette.Foram avaliados inicialmente pacientes com Febre Reumatica (controles positivos) e individuos saudaveis (controles negativos) com a finalidade de padronizar a metodologia laboratorial para que a mesma pudesse ser aplicada em Sindrome de Tourette. 0 metodo utilizado foi a Citometria de Fluxo e nao a imunofluorescencia, por ser metodo de execucao mais rapida, por nao implicar na subjetividade do tecnico leitor e por permitir analise de um numero muito maior de celulas. Foram utilizados 4 lotes de anticorpos D8117 enviados pelo Laboratorio de Imunologia e Microbiologia da Universidade Rockefeller. Algumas amostras de sangue de pacientes com Febre Reumatica e individuos saudaveis foram avaliadas pela tecnica de imunocitoquimica (APAAP). Os resultados insatisfatorios obtidos na fase de padronizacao da metodologia, nos levou a estudar um numero maior de pacientes com Febre Reumatica. 0 material este trabalho passou a ser constituido por: 43 pacientes com Febre Reumatica, 48 individuos saudaveis e apenas 10 pacientes com Sindrome de Tourette. Esta analise, por Citometria de Fluxo, mostrou positividade do antigeno D8117 em pacientes com Febre Reumatica e individuos saudaveis de, respectivamente, 29,41 por cento e 29,72 por cento. Nas analises realizadas por APAAP nao obtivemos positividade. Os resultados semelhantes obtidos em pacientes com Febre Reumatica e individuos saudaveis nao nos permitiu a caracterizacao de controles positivos para este estudo. A discrepancia destes achados, quando confrontados com os da literatura, nos fez questionar a validade, em nossa populacao, deste marcador de susceptibilidade em Febre Reumatica e consequentemente em Sindrome de Tourette...(au) pt
dc.format.extent 79 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Antígenos pt
dc.subject Anticorpos pt
dc.subject Febre Reumática pt
dc.subject Síndrome de Tourette pt
dc.subject Linfócitos pt
dc.title Expressao de antigeno D8/17 em linfocitos B de pacientes brasileiros com febre reumatica e sindrome de tourette pt
dc.title.alternative D8/17 antigen in B lymphocytes of the brazilian rheumatic fevre and tourette sydrome patients en
dc.type Tese de doutorado
dc.identifier.file epm-017739.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina pt



Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Exibir registro simples

Buscar


Navegar

Minha conta