Papel da isoenzima ossea da fosfatase alcalina no diagnostico do hiperparatireoidismo secundario a insufiCiência renal cronica

Papel da isoenzima ossea da fosfatase alcalina no diagnostico do hiperparatireoidismo secundario a insufiCiência renal cronica

Título alternativo The role of bone alkaline phosphatase isoenzyme of diagnosis secundary hyperparathyreoidism in chronic renal failure
Autor Pedrosa, Alessandra Coelho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O objetivo desse estudo foi avaliar a aplicabilidade da fosfatase alcalina ossea no diagnostico do HPT secundario a insufiCiência renal cronica. Para tanto, estudamos 2 grupos de pacientes renais cronicos mantidos em tratamento conservador (28 pacientes - grupo conservador) e dialitico (29 pacientes - grupo dialise), perfazendo um total de 57 pacientes. O unico criterio de selecao para os pacientes do grupo conservador foi a presenca de um clearance de creatinina inferior ou igual a 80 ml/min/1,73 m2. Estes pacientes foram ainda classificados nos subgrupos hiperparatireoidismo (HPT) e nao-hiperparatireoidismo (NHPT), de acordo, respectivamente com o valor de paratormonio (PTH) superior ou, inferior ou igual a 210 pg/ml. Ja os pacientes do grupo dialise foram selecionados por apresentarem alguma evidencia clinica ou laboratorial de doenca ossea. Foram realizados exames bioquimicos e hormonais relacionados a IRC. Os parametros osteo-metabolicos estudados foram: calcio ionizado (Ca++), fosforo (P04 ), fosfatase alcalina total (FAT), fosfatase alcalina ossea (FAO), PTH, magnesio, gasometria venosa e densitometria ossea. Os pacientes de ambos os grupos, conservador e dialise, apresentaram valores de densidade mineral ossea iguais ou inferiores a -1,00 em colo de femur. Houve uma incidencia de 14,3 por cento e 25 por cento de hipercalcemia, respectivamente, nos grupos conservador e dialise. Hiperfosfatemia e hipermagnesemia foram observadas, respectivamente, em 10 por cento e 40 por cento dos pacientes do grupo conservador e em 87,5 por cento e 79 por cento daqueles do grupo dialise. A FAT esteve elevada em, respectivamente, 60,7 por cento e 62 por cento dos pacientes dos grupos conservador e dialise. Ja a FAO mostrou-se elevada...(au)
Palavra-chave Fosfatase Alcalina
Hiperparatireoidismo Secundário
Insuficiência Renal Crônica
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 111 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 111 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17742

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta