Aspectos clínico-laboratoriais e evolutivos da infecção pelo vírus da hepatite B: experiência do setor de hepatites da Universidade Federal de São Paulo

Show simple item record

dc.contributor.advisor Ferraz, Maria Lucia Gomes [UNIFESP]
dc.contributor.author Moutinho, Renata da Silva [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T23:01:57Z
dc.date.available 2015-12-06T23:01:57Z
dc.date.issued 2001
dc.identifier.citation São Paulo: [s.n.], 2001. 170 p. tabgraf.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17740
dc.description.abstract O conhecimento dos aspectos epidemiologicos, clinicos, laboratoriais e evolutivos da infeccao aguda e cronica pelo virus da hepatite B (HBV) foi objetivo do presente estudo, que abrangeu casuistica do Setor de Hepatites da UNIFESP, em um periodo de 14 anos (1986 a 1999). Foram incluidos no estudo 1128 casos de infeccao pelo HBV, sendo 483 hepatites agudas e 645 casos de infeccao cronica. Na infeccao aguda houve predominio do sexo masculino e o principal fator de risco identificado foi a atividade sexual. No decorrer dos anos, pode-se observar uma diminuicao do numero de casos de hepatite aguda B, em relacao ao total de pacientes atendidos, a partir da decada de 90, coincidindo com as medidas profilaticas adotadas para evitar a transmissao do HIV. O diagnostico baseou-se na presenca de ictericia na grande maioria dos casos (86 por cento). Evolucao fulminante ocorreu em 1 por cento dos casos e 4 por cento dos pacientes evoluiram para forma cronica. A cura ocorreu na maioria dos casos mas nem sempre foi acompanhada do aparecimento de niveis detectaveis de anticorpos anit-HBs. Na infeccao cronica, o sexo masculino continuou predominando e a media de idade observada foi um pouco mais avancada. O principal fator de risco identificado foi o parenteral. Pode-se observar uma diminuicao relativa do numero de casos a partir do final da decada de 80, quando a hepatite C passou a contribuir de forma mais significativa no contingente das hepatites cronicas virais. A forma clinica compensada esteve presente na maioria dos casos. A presenca de replicacao viral, identificada pela positividade do HBeAg, esteve presente em cerca de 1/3 dos casos (n=143). Quando comparados aos casos com HBeAg negativo (n= 306), a forma cronica HBeAg positiva se associou a idade menos avancada, menor tempo estimado de doenca, maior tempo de acompanhamento, menor frequencia de encaminhamento pelos bancos de sangue, fatores de risco mais frequentemente identificados, presenca de co-infeccao pelo HIV...(au) pt
dc.format.extent 170 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Hepatite B pt
dc.subject Hepatite crônica pt
dc.title Aspectos clínico-laboratoriais e evolutivos da infecção pelo vírus da hepatite B: experiência do setor de hepatites da Universidade Federal de São Paulo pt
dc.title.alternative Clinic-laboratories aspects and evolution of infection hepatitis virus B: experience of the hepatitis sector - Federal University of São Paulo en
dc.type Dissertação de mestrado
dc.identifier.file epm-017604.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account