O efeito do decanoato de nandrolona na densidade mineral óssea e na massa muscular de mulheres com osteoporose e idade maior ou igual a 70 anos: um ensaio clinico, duplo cego, randomizado

O efeito do decanoato de nandrolona na densidade mineral óssea e na massa muscular de mulheres com osteoporose e idade maior ou igual a 70 anos: um ensaio clinico, duplo cego, randomizado

Título alternativo Effect of nandrolone decanoate therapy on bone mineral density and lean body mass in women with osteoporosisaged 70 years old or more: a doble-blind, randomized, clinical trial
Autor Frisoli Junior, Alberto Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Szejnfeld, Vera Lucia Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Foi realizado um ensaio clinico prospectivo, randomizado, duplo cego para avaliar, ao final de dois anos, os efeitos do decanoato de nandrolona (DN) sobre a densidade mineral ossea da coluna lombar, colo do femur e trocanter, alem da massa muscular total e da taxa de fraturas de vertebras, Foram incluidas 65 mulheres com idade entre 70 e 81 anos, com diagnostico de osteoporose em coluna lombar e, ou femur proximal. As pacientes foram randomizadas em dois grupos. Um, formado por 32 mulheres, recebeu 50mg de DN a cada tres semanas,) o outro, por 33 mulheres, recebeu placebo a cada tres semanas. Os dois grupos receberam 500 mg de carbonato de calcio, diariamente. No final do primeiro e segundo ano, a DMO da coluna lombar (3,4n6,0 e 3,7 por centon7,4; p<0,05) e do colo do femur (4,1 por centon 7,3 e 4,7 por centon8,0; p<0,05) do grupo decanoato de nandrolona apresentaram aumento significativo em relacao aos valores iniciais. A DMO do trocanter aumentou significativamente em relacao aos valores iniciais apenas no primeiro anos mantendo-se estavel no segundo ano (4,8 por centon9,3 e 3,1 por centon10,21 p>0,05). Apenas, a DMO de trocanter foi estatisticamente maior que a do placebo (p=0,003) no primeiro ano de tratamento. Ao final do segundo ano, a DMO do grupo DN mostrou aumento significativo no colo de femur (p=0,01) e no trocanter (p=0,02), em relacao ao placebo) A massa muscular do corpo total indicou elevacao significativa de 6,2 por cento n5,8 (p<0,00004) no primeiro ano e de 11,9 por centon29,2 (p<0,0001) no segundo ano. Ao final de dois anos, a taxa de novas fraturas de vertebras foi significativamente menor no grupo que recebeu o DN (21 por cento; p<0,05), do que aquela encontrada) no grupo com placebo (43 por cento) Os niveis de...(au)
Palavra-chave Osteoporose
Esteroides
Anabolizantes
Fraturas da Coluna Vertebral
Idoso
Idioma Português
Data de publicação 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 101 p. tab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 101 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17678

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta