Relações objetais na esquizofrenia: um estudo comparativo

Show simple item record

dc.contributor.advisor Blay, Sergio Luis [UNIFESP]
dc.contributor.author Bruscato, Wilze Laura [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T23:01:46Z
dc.date.available 2015-12-06T23:01:46Z
dc.date.issued 2001
dc.identifier.citation São Paulo: [s.n.], 2001. 196 p. tab.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17570
dc.description.abstract Introdução: A esquizofrenia e frequentemente caracterizada por deficits na capacidade do individuo de exercer suas acoes proprias e naturais, inclusive no que se refere ao relacionamento interpessoal. Relacao objetal, no contexto deste trabalho, diz respeito a capacidade dos individuos para os relacionamentos humanos e e tida como uma funcao do ego fundamental para a vida psicologica saudavel, podendo-se presumir que varias condicoes patologicas estejam associadas a deficits nesta funcao egoica. Em virtude disto, tem havido um interesse renovado na integracao das questoes ligadas a esquizofrenia as teorias sobre relacoes objetais, que valorizam a natureza interpessoal dos relacionamentos e articulam a psicologia individual com os sistemas de relacionamentos sociais. Objetivos: Este estudo teve como objetivos, averiguar a natureza das relacoes objetais na esquizofrenia, investigar a possivel existencia de um padrao deficitario de relacionamento peculiar deste transtorno e avaliar a interferencia de variaveis clinicas e socio-demograficas nos deficits eventualmente encontrados. Metodo: Duas amostras independentes, compostas, uma por 61 individuos com diagnostico de esquizofrenia de acordo com o criterio do DSM-IV, e a outra por 218 estudantes universitarios voluntarios, foram avaliadas com o Bell Object Relations and Reafty Testing Inventory (BORRTI - Forma 0) e comparadas entre si. A amostra de pacientes tambem foi submetida a avaliacao atraves da Positive and Negative Syndrome Scale (PANSS) e da Composite Internacional Diagnostic Interview (CIDI). Estes pacientes foram comparados de acordo com subtipos clinicos, sintomatologia predominantemente positiva ou negativa, tempo de duracao da doenca e variaveis socio-demograficas, para investigar se os deficits de relacoes objetais tinham alguma relacao com estas variaveis. Resultados: A comparacao destes dois grupos amostrais revelou, conforme as medidas fornecidas pelas medias dos escores do teste e a porcentagem de altos escores nas quatro subescalas do BORRTI - Forma 0, que o padrao de relacoes objetais foi significantemente diferente para cada um deles (p<0,001)...(au) pt
dc.format.extent 196 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Apego ao objeto pt
dc.subject Esquizofrenia pt
dc.subject Psicanálise pt
dc.title Relações objetais na esquizofrenia: um estudo comparativo pt
dc.title.alternative Object relations in schizophrenia: a comparative study en
dc.type Tese de doutorado
dc.identifier.file epm-017395.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account