A fibronectina fetal na predicao do parto prematuro em pacientes com insufiCiência istmocervical tratadas pela circlagem a McDonald modificada

A fibronectina fetal na predicao do parto prematuro em pacientes com insufiCiência istmocervical tratadas pela circlagem a McDonald modificada

Título alternativo Fetalfibronectin in prediction of premature delivery in patients with cervical incompetence and treated by modified McDonald cerclage
Autor Rodrigues, Liliane Costa Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A identificacao precoce e segura do Trabalho de Parto Prematuro representa grande desafio ao obstetra. Uma das causas importantes de prematuridade de repeticao e a InsufiCiência Istmocervical (IIC), que, apesar da circlagem (procedimento cirurgico empregado para o tratamento dessa entidade), apresenta indices de prematuridade ainda, elevados. Para tentar identificar os casos com maior risco de parto prematuro, analisamos o teste de imunoensaio de membrana para deteccao da fibronectina fetal nas secrecoes cervicais entre a 24 e a 34 semana de gestacao, comparando o valor do teste nas pacientes com circlagem eletiva (realizada quando o canal cervical esta impervio), e na urgencia (quando ha dilatacao do colo uterino ao exame ginecologico elou protrusao das membranas pela vagina). Cinquenta pacientes portadoras de InsufiCiência Istmocervical e submetidas a circlagem uterina foram analisadas pelo teste da fibronectina fetal. A incidencia de prematuridade foi de 30 por cento (15/50). Vinte e seis pacientes (52 por cento) tiveram pelo menos um teste de fibronectina fetal positivo; delas, 8 resultaram em partos prematuros (30,7 por cento) e em 3 pacientes.(11,5 por cento) o teste diagnosticou corretamente que o parto aconteceria em ate 15 dias apos o teste. A idade gestacional media em que se apurou o primeiro resultado positivo foi de 27,79 semanas; entretanto, a idade gestacional media de parturicao foi 36,8 semanas, mostrando que o teste foi incapaz de prever o parto em intervalo proximo. Nao houve relacao diretamente proporcional entre maior numero de testes positivos e a parturicao. Tivemos 30 casos eletivos e 20 de urgencia, sendo que nos 30 casos eletivos, 6 nasceram prematuramente e a metade deles nao tinha nenhum teste de fibronectina fetal positivo. Nos casos de urgencia, 4 tiveram Trabalho de Parto Prematuro sem mostrar teste positivo. Em pacientes com circlagem eletiva encontramos os seguintes resultados: 50 por cento de sensibilidade, 50 por cento de especificidade, 20 por cento de valor preditivo positivo e 80 por cento de valor preditivo negativo. E, em pacientes com circlagem de urgencia obtivemos indices de 55,5 por cento, 45,4 por cento, 45,4 por cento e 55,5 por cento, respectivamente. Esses indices baixos demonstram que o teste da fibronectina fetal nao foi eficaz em predizer a prematuridade nas pacientes portadoras de InsufiCiência Istmocervical submetidas a circlagem a McDonald modificada
Palavra-chave Fibronectinas
Incompetência do Colo do Útero
Prematuro
Idioma Português
Data de publicação 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 123 p. tabgraf.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 123 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17559

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta