Atrasos de desenvolvimento mental e motor em crianca de creches de comunidade urbana de baixa renda e fatores de risco associados

Atrasos de desenvolvimento mental e motor em crianca de creches de comunidade urbana de baixa renda e fatores de risco associados

Título alternativo Mental and motor delays in daycare children from an urban poor community and associated risks factors
Autor Paula, Cristiane Silvestre de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bordin, Isabel Altenfelder Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psiquiatria e Psicologia Médica – EPM
Resumo Introdução: Como o desenvolvimento infantil é influenciado não só por fatores biológicos, mas também por fatores socioambientais, crianças de nível socioeconômico baixo são consideradas grupo social de risco para atrasos de desenvolvimento. Em muitas regiões urbanas pobres do Brasil, crianças pequenas de alto risco social encontram-se naturalmente reunidas em creches públicas. Portanto, considerando-se a saúde física e mental infantil, essas instituições podem representar um local ideal para intervenções precoces. Objetivos: (1) Verificar a prevalência de atrasos de desenvolvimento mental e motor em crianças de creche de comunidade urbana de baixa renda; (2) identificar fatores de risco biológicos e socioambientais associados a cada tipo de atraso; (3) avaliar a qualidade das creches na comunidade estudada, segundo critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS). Método: Desenho: Estudo de corte transversal. Participantes: Todas as crianças, entre nove e 30 meses de idade (N=56), de todas as creches municipais (N=2) do Jardim Santa Tereza, Embu, São Paulo. Medidas: (1) Desfechos clínicos: desenvolvimento mental; desenvolvimento motor (Escalas de Bayley); (2) Fatores de risco biológicos: baixo peso ao nascer (<2500g), prematuridade, intercorrências neonatais; (3) Fatores de risco socioambientais: características sociodemográficas (relacionadas à criança, mãe, pai/padrasto, família); saúde mental materna (Self Report Questionnaire / SRQ-20) e número de eventos de estresse (Questionário para Situações Psicossociais Anormais Associadas / Eixo V da CID-10); e (4) Qualidade das creches (Escala de Avaliação de Estabelecimentos Prestadores de Cuidados à Crianças - OMS). Análise estatística: (1) análise descritiva; (2) análise univariada (para examinar possíveis associações entre cada um dos potenciais fatores de risco e desenvolvimento infantil); (3) análise multivariada (melhor modelo associativo envolvendo fatores de risco com algum impacto sobre os desfechos clínicos; regressão linear). Resultados: Prevalência de atraso de desenvolvimento mental: 33,9%; prevalência de atraso de desenvolvimento motor: 29,6%. Quando consideramos a análise univariada, três fatores influenciaram o desenvolvimento mental da criança (menor idade da mãe, menor tempo de moradia da mãe no Embu e maior número de eventos de estresse) e dois fatores influenciaram o desenvolvimento motor (maior tempo de exposição à creche e maior número de eventos de estresse). A análise de regressão múltipla revelou que o número de eventos de estresse foi o único fator de risco que permaneceu no modelo final para cada um dos desfechos clínicos de interesse. Quanto maior o número de eventos de estresse, menor o escore de desenvolvimento mental (p=0,01). O mesmo foi observado para atraso motor (p=0,02). Os eventos de estresse mais freqüentes foram: condições inadequadas do ambiente imediato no qual a criança está inserida (ex. ser criada por apenas um dos pais biológicos ou por avós), eventos de vida agudos (ex. perda de ente querido devido ao fato de o pai abandonar o lar ou de avós migrantes retornarem ao Estado de origem) e relações intrafamiliares problemáticas (ex. discórdia conjugal). Conclusão: Eventos de estresse múltiplos associados a altos índices de atrasos de desenvolvimento mental e/ou motor revelaram a necessidade de implantar intervenções efetivas em creches de comunidades urbanas de baixa renda, que sejam sensíveis às características culturais locais.
Assunto Desenvolvimento Infantil
Creches
Fatores de Risco
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Número do financiamento FAPESP: 99/06670-9
Data 2001
Publicado em PAULA, Cristiane Silvestre. Atrasos de desenvolvimento mental e motor em crianças de creches de comunidade urbana de baixa renda e fatores de risco associados. 2001. 148 f. Dissertação (Mestrado) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2001.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 141 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17511

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Tese-6649.pdf
Tamanho: 1.324Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)