Estenose infraglotica: analise retrospectiva de 27 pacientes operados no hospital São Paulo

Estenose infraglotica: analise retrospectiva de 27 pacientes operados no hospital São Paulo

Título alternativo Subglotic stenosis: retrospective analysis on 27 patients operated at the hospital São Paulo
Autor Goncalves, Ana Paula Vieira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A estenose infraglotica e doenca complexa e estigmatizante, cujo tratamento permanece um desafio. Neste estudo retrospectivo de 10 anos, reportamos 27 pacientes portadores de estenose infraglotica operados no Hospital São Paulo. A idade dos pacientes variou de 1 a 50 anos com media de 22 anos. 14 eram do sexo masculino e 13 do sexo feminino. Nosso objetivo foi determinar a etiologia, os tipos de estenose, os tipos de cirurgias realizadas, as complicacoes pos-operatorias e a taxa de decanulacao. A causa mais comum de estenose foi por sequela de intubacao intratraqueal secundaria a trauma cranio-encefalico. Em 70 por cento dos casos houve algum tipo de estenose glotica ou traqueal concomitante e 51,85 por cento das estenose eram grau 11 (obstrucao circunferencial de 70 a 90 por cento). 3 pacientes (11,11 por cento) foram submetidos a procedimentos endoscopicos, tais como dilatacoes e resseccoes, 14 (51,85 por cento) sofreram cirurgias abertas baseadas no alargamento do esqueleto laringeo por meio de cricoidotomias, com ou sem enxertia, excisao de tecido cicatricial ou resseccao parcial da cartilagem cricoidea, 10 (37,04 por cento) sofreram procedimentos abertos e endoscopicos. A cirurgia mais realizada foi a seccao vertical da lamina posterior da cartilagem cricoidea com interposicao de enxerto (51,43 por cento). Complicacoes pos-operatorias foram observadas em 48,57 por cento dos casos, principalmente disfagia e aspiracao que melhoraram apos alguns dias. A taxa total de decanulacao foi de 85,18 por cento. No grupo em que foram realizados procedimentos abertos, a taxa foi de 83,33 por cento e foi alcancada no 10º mes pos-operatorio, em media. Ao final do tratamento, no grupo de pacientes decanulados, tanto disfonia quanto dispneia leve foram observados, ambos em 26,09 por cento dos casos
Palavra-chave Laringoestenose
Estenose Traqueal/cintilografia
Intubação
Laringe/cirurgia
Idioma Português
Data de publicação 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 111 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 111 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17349

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta