Respostas endócrinas e emocionais após um teste de esforço máximo em sedentários e praticantes de exercício físico com alta e baixa dependência de exercício

Respostas endócrinas e emocionais após um teste de esforço máximo em sedentários e praticantes de exercício físico com alta e baixa dependência de exercício

Título alternativo Endocrine and emotional responses after maximal exercise resting in sedentary and treaned subjects with high and low intensity of exercise dependence
Autor Rosa, Daniel Alves Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Souza-Formigoni, Maria Lucia Oliveira de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Embora seja dado muito destaque aos efeitos beneficos da pratica regular de exercicios fisicos, sugere-se existir uma sindrome de dependencia de exercicios, caracterizada por criterios clinicos similares aos estabelecidos para o diagnostico de outras dependencias. Sugere-se tambem que a dependencia de exercicios siga o mesmo modelo de reforco proposto para explicar o desenvolvimento da dependencia a drogas psicoativas. As propriedades de reforco positivo do exercicio estariam associadas a sua capacidade de alterar os niveis dos principais neurotransmissores envolvidos nas vias neurais do prazer. As propriedades de reforco negativo estariam na sua capacidade de minimizar estados negativos de humor. Para alguns individuos, a pratica de exercicios serviria para a reducao ou extincao de um estado geral desagradavel (ansiedade, estresse ou depressao), contribuindo para a genese ou manutencao de um estado de dependencia. Os objetivos do presente estudo foram: a) adaptar a Escala de Dependencia de Exercicio (EDE) proposta por Hailey & Bailey, (1982) b) comparar as respostas endocrinas e emocionais, antes e apos a realizacao de um teste de esforco fisico maximo (TEFM), de 66 homens, sendo: 20 individuos sedentarios (SED); 23 individuos fisicamente ativos com baixa pontuacao (2,3n1,1) na EDE (FANDE) e 23 individuos fisicamente ativos com alta pontuacao (7,0n1,5) na EDE (FADE). Os dados foram coletados 15 minutos antes do TEFM (pre-ex), imediatamente apos (pos-ex) e aos 30, 60 e 120 minutos do periodo de recuperacao. Os voluntarios nao diferiram quanto aos niveis basais de ansiedade (IDATE-traco), depressao (BECK), aspectos de qualidade de vida (SF-36), ACTH e cortisol. Nao r houve diferencas entre os grupos SED, FANDE e FADE quanto a idade e IMC. O grupo SED apresentou menores niveis de V02Max apos o TEFM, do que os grupos FANDE e FADE, que nao foram diferentes entre si. O grupo FADE relatou maior frequencia semanal de exercicios fisicos do que os grupos FANDE e SED, que tambem diferiram entre si (p<0.05). Os grupos nao foram diferentes quanto aos niveis de ansiedade e humor avaliados no momento pre-exercicio. Quando comparadas aos seus proprios valores basais a pontuacao na escala de tensao da POMS do grupo FANDE foi menor...(au)
Palavra-chave Exercício
Sintomas afetivos
Hormônio adrenocorticotrópico
Hidrocortisona
Idioma Português
Data de publicação 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 109 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 109 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17334

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta