Antioxidantes e imunidade celular em idosos: analise de uma amostra do projeto epidoso

Antioxidantes e imunidade celular em idosos: analise de uma amostra do projeto epidoso

Título alternativo Antioxidant and cellular immunity in elderly people: analysis of sample of the EPIDOSO project
Autor Santos, Carlos Andre Freitas dos Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Este estudo transversal, tem como objetivo estudar a imunidade celular, atraves da hipersensibilidade cutanea tardia, em uma populacao de idosos e sua relacao com nutrientes anti-oxidantes, como vitaminas C, E, beta-caroteno e selenio. Foram estudados 69 idosos, residentes na comunidade, com idade igual ou superior a 65 anos, selecionados a partir de uma sub-amostra do projeto EPIDOSO sob acompanhamento regular no Centro de Estudos do Envelhecimento da Universidade Federal de São Paulo, durante o periodo de 10/09/97 a 20112/97. A populacao estudada foi discriminada em relacao a ser ou nao anergica, apos aplicacao do Mult Test, dividida em grupos do sexo masculino e feminino, e descrita de acordo com as variaveis independentes: idade; comprometimento para AVD; funcao cognitiva, atraves do MMSE; avaliacao nutricional pelo IMC; inGestão de vitaminas C, E, beta-caroteno e selenio; dosagem de hemoglobina, linfocitos, albumina e transferrina; concentracao plasmaqtica de vitaminas C, E e beta-caroteno. A prevalencia de anergia foi elevada, sendo 39,4 por cento e 66,7 por cento para homens e mulheres, sendo que o grupo masculino tem maior reatividade que o feminino (valores em mediana: 5,5 e 1,0 mm, respectivamente). Pouco mais de 30 por cento da populacao tem dificuldades em realizar 4 ou mais AVD, sendo considerada dependente, porem tem um bom desempenho cognitivo. Entre as mulheres, as dependentes tendem ser anergicas, relacao com significancia estatistica. Cerca 8,7 por cento dos idosos estudados sao demenciados. A inGestão de vitaminas C, E e beta-caroteno, na populacao estudada, e bastante adequada, porem ha diferenca significativa na baixa inGestão de selenio pelo grupo feminino, sendo um fator contribuidor para a maior imunodefiCiência desta populacao. Entretanto, as concentracoes plasmaticas dessas vitaminas antioxidantes sao baixas, nao refletindo sua ingestao, e sugerindo ou uma defiCiência em sua absorcao, ou maior consumo das mesmas no processo antioxidante. Entre as mulheres ha diferenca significativa nas...(au)
Palavra-chave Antioxidantes
Imunidade
Envelhecimento
Idioma Português
Data de publicação 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 79 p. tab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 79 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17300

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta