Assistencia psicoprofilatica a gestantes ou casais no ciclo gravidico-puerperal: compreendendo o significado desta vivencia

Assistencia psicoprofilatica a gestantes ou casais no ciclo gravidico-puerperal: compreendendo o significado desta vivencia

Título alternativo Psychoprophylactic assistance to the pregnant women or to couples during the gravidic-puerperal cycle: understanding the meaning of this life experience
Autor Mazzetto, Fernanda Moerbeck Cardoso Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Este estudo de natureza qualitativa com enfoque fenomenologico foi realizado com o objetivo de compreender a vivencia de um grupo de mulheres ou casais na assistencia psicoprofilatica durante o ciclo gravidico-puerperal. Os dados foram obtidos com quinze mulheres por meio de entrevistas gravados. A analise dos conteudos permitiu identificar os temas: Buscando ter dominio; Assumindo ser mae; Derrubando o tabu do parto normal; Construindo uma familia. Buscam ter dominio por indicacao do medico pre-natalista, por sentirem-se inseguras e ansiosas, para compreender os acontecimentos, para estarem melhor preparadas para o momento do parto e saber cuidar do bebe, ter o conhecimento necessario para viver o ciclo gravidico-puerperal, ter facilidade para cuidar do bebe. Para assumir ser mae as mulheres necessitam falar sobre seus sentimentos e emocoes, precisam ouvir de pessoas de fora coisas que as ajudem a aceitar sua gravidez inesperada e desejam estar tranquilas durante a gestacao, no parto e pos parto para cuidar do bebe. Relatam que nao querem o parto normal por medo e desconhecimento, acham que so pode ser o parto cesarea, passando a posteriori a aceitar e ter expectativa de evoluir para o parto normal derrubando o tabu do parto normal. Referem que a assistencia psicoprofilatica integra o casal, favorece acolher o bebe e unir-se no companheiro. Assim, o fenomeno desvelado e interagindo com a maternidade. Este trabalho possibilitou perceber que as mulheres desejam conhecer esta vivencia, de saber o que e a assistencia psicoprofilatica, e mesmo com muitos receios, duvidas e desconhecimentos, desejam interagir com o profissional, consigo mesma e com sua nova condicao de mae. Acredito que esta abertura seja um caminho, nao so para a construcao de ser mae, mas tambem para, as relacoes interpessoais mais saudaveis em sua familia
Palavra-chave Cuidado Pré-Natal
Saúde Materno-Infantil
Educação de Pacientes como Assunto
Relações Mãe-Filho
Enfermagem Obstétrica
Idioma Português
Data de publicação 2001
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2001. 103 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 103 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17286

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta