Reprodutibilidade interobservador da classificação da distopia genital proposta pela Sociedade Internacional de Continência

Reprodutibilidade interobservador da classificação da distopia genital proposta pela Sociedade Internacional de Continência

Título alternativo Interobserver reproducibility of pelvic organ prolapse classification suggested by the International Continence Society
Autor Feldner Junior, Paulo Cezar Autor UNIFESP Google Scholar
Bezerra, Leonardo Robson Pinheiro Sobreira Google Scholar
Oliveira, Emerson Google Scholar
Sartori, Marair Gracio Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Baracat, Edmund Chada Autor UNIFESP Google Scholar
Lima, Geraldo Rodrigues de Google Scholar
Girão, Manoel João Batista Castello Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: to determine interobserver reliability of site-specific measurements and stages according to the proposed International Continence Society prolapse terminology document. METHODS: we analyzed 51 women during urogynecological investigation performed at the Urogynecology and Vaginal Surgery Sector of UNIFESP / EPM. We recorded the locations of point-specific measures proposed by the International Continence Society (ICS). They are: two in the anterior vaginal wall, two in the superior vagina, two in the posterior vaginal wall, genital hiatus, perineal body and total vaginal length. Then we recorded the stage of genital prolapse. Women underwent pelvic examinations by two investigators, each blinded to the results of the other's examination. The reproducibility of the nine site-specific measurements and the summary stage were analyzed using Pearson's correlation coefficient and the median measurements were compared by the paired-t test. RESULTS: there were substantial and highly significant correlations for each of the nine measurements. Correlation coefficient for point Aa was 0.89 (p<0.0001), point Ba 0.90 (p<0.0001), point C 0.97 (p<0.0001), point Ap de 0.72 (p<0.0001), point Bp 0.84 (p<0.0001), point D 0.91 (p<0.0001), genital hiatus 0.65 (p<0.0001), perineal body 0.66 (p<0.0001) e total vaginal length 0.73 (p<0.0001). We also did not note differences between the means of measurements by the two examiners. Staging was highly reproducible (r=0.81, p<0.0001). ln no subject did the stage vary by more than one; in 86,2%, stages were identical. CONCLUSIONS: there is a good reproducibility of measures using the system proposed by the International Continence Society prolapse terminology document.

OBJETIVO: testar a reprodutibilidade entre observadores das medidas e do estádio da distopia genital pela classificação do prolapso pélvico feminino preconizada pela Sociedade Internacional de Continência (ICS). MÉTODOS: foram avaliadas 51 pacientes atendidas no setor de Uroginecologia e Cirurgia Vaginal do Departamento de Ginecologia da UNIFESP/EPM durante investigação uroginecológica. Descrevemos a localização dos pontos propostos pela classificação da ICS, sendo dois na parede vaginal anterior, dois no ápice vaginal, dois na parede vaginal posterior, além do hiato genital, corpo perineal e comprimento vaginal total. A seguir, realizamos o estadiamento da distopia genital baseada nesta classificação. O procedimento foi realizado por dois investigadores diferentes sem contato prévio entre eles. A reprodutibilidade das nove medidas sítio-específicas e do estádio final foi analisada pela correlação de Pearson e a média dos pontos específicos pelo teste de t-pareado. RESULTADOS: houve correlação significativa e substancial para as medidas avaliadas. O índice de correlação para o ponto Aa foi de 0,89 (p<0,0001), ponto Ba de 0,90 (p<0,0001), ponto C de 0,97 (p<0,0001), ponto Ap de 0,72 (p<0,0001), ponto Bp de 0,84 (p<0,0001), ponto D de 0,91 (p<0,0001), hiato genital de 0,65 (p<0,0001), corpo perineal de 0,66 (p<0,0001) e comprimento vaginal total de 0,73 (p<0,0001). Também não se observou variação na média das medidas realizadas pelos dois examinadores. Da mesma forma, o estádio final da distopia foi altamente reprodutível (r = 0,81, p<0,0001). Em nenhuma paciente houve variação maior que um estádio, sendo idênticos em 86,2% dos casos. CONCLUSÕES: existe reprodutibilidade nas medidas obtidas pelo sistema de classificação da distopia genital da Sociedade Internacional de Continência.
Palavra-chave Genital prolapse
Genital dystopia
Urinary incontinence
Prolapso genital
Distopia
Incontinência urinária
Idioma Português
Data de publicação 2003-06-01
Publicado em Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, v. 25, n. 5, p. 353-358, 2003.
ISSN 0100-7203 (Sherpa/Romeo)
Publicador Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Extensão 353-358
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032003000500008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-72032003000500008 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1727

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0100-72032003000500008.pdf
Tamanho: 361.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta