Esofagite de refluxo em criancas: estudo histologico, imuno-histoquimico e morfometrico

Esofagite de refluxo em criancas: estudo histologico, imuno-histoquimico e morfometrico

Título alternativo Reflux esophagitis in children: histologic, immunohistochemical and morphometric studies
Autor Mader, Ana Maria Amaral A Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Refluxo gastroesofagico e uma afeccao relativamente comum na infancia e pode causar morbidade, como esofagites e doencas pulmonares. Estima-se a sua incidencia em 2 a 5 por cento e a prevalencia em 5 a 8 por cento da populacao. Pelo fato de termos poucos estudos histologicos e morfometricos com biopsias esofagicas em criancas, procedemos a realizacao deste trabalho. Foram analisadas 26 biopsias esofagicas nao consecutivas em criancas (media de idade de 3,4 anos), no periodo de 1991 a 1999. O diagnostico de RGE foi comprovado por EED em 18, por phmetria em 5 e por cintilografia em 3 pacientes. O grupo controle constou de 7 criancas assintomaticas para RGE e que cuja causa da morte foi de meningococcemia e cardiopatia congenita (media de idade de 2,3 anos). Utilizamos as tecnicas histoquicas HE e PAS para avaliar o infiltrado inflamatorio, espessura do epitelio, de sua camada basal e o comprimento papilar. A morfometria foi realizada por meio de sistema digital conectado ao Software Pro-Image. A analise imuno-histoquimica para os antigenos CD2O, CD45RO e proteina S-100 foi realizada atraves do metodo estreptoavidina-biotina-peroxidase. Para a analise estatistica utilizamos o teste t de Student, de Whitney, de Fisher e o indice de correlacao de Pearson. Houve uma predominancia do sexo masculino (84,6 por cento); vomitos pos prandiais e broncopneumonias de repeticao foram os sintomas mais frequentes. Espessura epitelial e da camada basal, comprimento papilar absoluto e relativo percentual em relacao a espessura epitelial, e a densidade de linfocitos T intra-epiteliais foram significantemente maiores no grupo das esofagites em relacao ao grupo controle. A densidade de linfocitos B e de celulas de Langerhans nao se mostraram, estatisticamente, diferentes entre os dois grupos. Eosinofilos, neutrofilos e balloon cells nao foram observadas no grupo controle. Capilares intra-epiteliais ocorreram em 11 casos de esofagite de refluxo (diametro medio de 59 mm), estando ausentes no grupo controle. Apos reclassificacao das esofagites segundo criterios morfometricos, a espessura da camada basal e o comprimento papilar, expressos em valores percentuais, e a densidade de linfocitos B, T intra-epiteliais e de celulas de Langerhans foram significantemente maiores nos graus moderado/severo, quando comparados aos graus leves. Houve correlacao positiva entre o numero de linfocitos T e a espessura da camada basal e com o numero de eosinofilos. Portanto,...(au)
Palavra-chave Refluxo Gastroesofágico
Criança
Imuno-Histoquímica
Histologia
Idioma Português
Data de publicação 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 102 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 102 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/17138

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta