Regulação dos canais de cálcio voltagem-dependentes pelo tratamento crônico com nifedipina no ducto deferente de rato e no fundus de estômago

Regulação dos canais de cálcio voltagem-dependentes pelo tratamento crônico com nifedipina no ducto deferente de rato e no fundus de estômago

Título alternativo Regulation of calcium channels througt treatment chronic with nifedipine in rat vas deferens and fundus of stomach
Autor Verde, Luciana Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Jurkiewicz, Neide Hyppolito Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Nosso objetivo foi estudar os efeitos decorrentes do tratamento cronico com um antagonista dos canais de calcio voltagem-dependentes do tipo L, no caso a nifedipina, sobre a expressao e a funcao destes canais apos a suspensao do tratamento. Para isto utilizamos dois tipos de musculatura lisa: o ducto deferente e o fundus de estomago provenientes de ratos tratados com nifedipina durante o periodo de vida infantil (do 7§ ao 28§ dia de vida pos-natal) e adulto (por 5 ou 15 dias). Os experimentos foram realizados em animais com 40, 60 e 120 dias de idade tratados durante o periodo infantil, ou seja, 10, 30 e 60 dias apos a suspensao da medicacao, ou entre o 10 e 60 dia de suspensao, quando o tratamento foi feito em animais adultos. A expressao dos VDCCs foi avaliada atraves da ligacao da 3H-isradipina, antagonista dos canais, pela metodologia de receptor-binding enquanto a funcao dos canais foi estudada atraves de experimentos funcionais usando agonistas que contraem a musculatura por mecanismos diferentes. Os principais resultados obtidos foram: 1. O tratamento com nifedipina durante o periodo de vida infantil (entre o 7§ e 28§ dia de vida) produziu, nos DDRS, um aumento da densidade de VDCCs do tipo L, de 34 e 40 por cento, medidos respectivamente 10 e 30 dias apos a suspensao do tratamento. Nos DDRs 90 dias apos a cessacao do tratamento, (animais com 120 dias de idade), este aumento nao foi mais visualizado. 2. Nos DDRS, 10 e 30 dias apos a suspensao do tratamento dos ratos infantis com nifedipina, houve aumento de resposta aos agonistas BaCl2, KCl (animais com 40 e 60 dias) e MeCh (so animais com 60 dias). A isradipina bloqueou completamente estas respostas sugerindo uma relacao direta entre o aumento na densidade dos canais e nas resposta contrateis. 3. A resposta da NOR no DDR nao foi modificada pelo tratamento com nifedipina apesar de ter sido abolida pela isradipina. A existencia de alguma alteracao compensatoria pode estar envolvida. 4. Um aumento na atividade simpatica, por aumento da concentracao de noradrenalina liberada ou no processo de liberacao, fica excluido uma vez que o tratamento de ratos infantis com nifedipina nao alterou a resposta do agonista de acao indireta, tiramina. 5. No fundus de estomago, cerca de 20 a 40 por cento da resposta contratil ao BaCl2 e ao KCI independe da entrada de Ca++ pelos VDCCs do tipo L porque nao e abolida pela isradipina. Entretanto, da mesma forma que ocorreu no DDR, verificou-se um ...(au)
Palavra-chave Canais de cálcio
Nifedipino
Músculo liso
Calcium channels
Nifedipine
Muscle, smooth
Idioma Português
Data de publicação 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 111 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 111 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16995

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta