Possivel participacao do estresse oxidativo estriatal na discinesia oral induzida pela reserpina em ratos: evidencias comportamentais e bioquimicas

Possivel participacao do estresse oxidativo estriatal na discinesia oral induzida pela reserpina em ratos: evidencias comportamentais e bioquimicas

Título alternativo Possible participation of the stress oxidative estriatal in the oral dyskinesia induced by the reserpine in mice: you evidence behavioral and biochemical
Autor Araujo, Carlos Cezar Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Inumeras evid1encias clinicas e experimentais tem sugerido uma intima relacao entre o desenvolvimento de discinesia orofaciais e alteracoes na transmissao dopaminergica nigroestriatal. Com efeito, a administracao prolongada de neurolepticos e metoclopramida (drogas bloqueadoras de receptores dopaminergicos) pode resultar no desenvolvimento da discinesia tardia, doenca por vezes irreversivel, caracterizada por movimentos involuntarios, principalmente da regiao orofacial. A discinesia tardia tem como principal fator de risco a idade avancada, que por sua vez pode promover uma discinesia orofacial espontanea, de sintomatologia identica em individuos nunca submetidos ao tratamento com bloqueadores de receptores dopaminergicos. Recentemente, Neisewander e colaboradores (l994) propuseram um modelo animal de discinesia tardia: o registro dos movimentos orofaciais induzidos em ratos pela administracao repetida de reserpina. Utilizando esse modelo, verificamos em nossos laboratorios que a discinesia oral induzida pela reserpina e mais persistente em animais idosos, quando comparados a jovens (Bergamo et al., 1997). Nesse trabalho, observamos tambem que animais idosos apresentavam, espontaneamente, movimentos orofaciais fenomenologicamente identicos a aqueles induzidos pela reserpina em animais jovens. Nesse contexto, enquanto a exacerbacao do estresse oxidativo e uma caracteristica bem conhecida do cerebro idoso, a discinesia tardia tem sido associada, fisiopatologicamente, a acao neurotoxica promovida pela formacao de especies reativas de oxigenio em decorrencia da biotransformacao da dopamina, cujo turnover e aumentado pelo tratamento com neurolepticos. Em consonancia com esses fatos, Waddington (l99O) propoe que os neurolepticos, de fato, nao causariam a discinesia tardia; mas apenas precipitariam um processo neurofisiologico que culminaria no desenvolvimento espontaneo dessa sintomatologia em individuos suficientemente idosos. Recentemente, sugerimos que esse processo neurofisiologico seria a diminuicao das defesas antioxidantes organicas com consequente exacerbacao do estresse oxidativo (Bergamo et al., 1997). Este trabalho teve como proposicao geral verificar o possivel envolvimento do estresse oxidativo na discinesia orofacial induzida pela reserpina em ratos. Os principais resultados obtidos foram os seguintes: A administracao previa e concomitante do agente antioxidante vitamina E ...(au)
Palavra-chave Vitamina E
Reserpina
Discinesia Induzida por Medicamentos
Dopamina
Glutationa
Idioma Português
Data de publicação 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 83 p. ilus.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 83 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16956

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta