Terapia de linguagem na afasia

Terapia de linguagem na afasia

Título alternativo Speech therapy in aphasia
Autor Spinelli, Mauro Google Scholar
Lapetina, Jairza Google Scholar
Rosado, Maria Luiza Autor UNIFESP Google Scholar
Rosado, Pedro Simões Autor UNIFESP Google Scholar
Lima, José Geraldo Camargo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Católica de São Paulo
Centro de Distúrbios da Audição e Linguagem de São Paulo
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The speech therapy in fifteen aphasic patients was studied. The group consisted of 8 male and 7 female patients and their ages ranged from less than ten to more than fifty years. In eleven cases the aphasia was due to cerebrovascular disease and in the remaining four cases to traumatic injury to the brain. Predominantly expressive aphasia accounted for five patients while in the others a comparable degree of receptive and expressive deficits existed. Six patients had their therapy programme started within the first three months after the acute phase and the rest of the group started it after more time had elapsed. Eleven patients showed a satisfactory revovery regardless the inicial deficit severity, the patients age, the pathology of the lesion or the period of time which elapsed from the beginning of the disease to the start of the therapy. The speech therapy in aphasic patients is effective although a firm prognosis cannot be established at the beginning of the programme. Useful information concerning prognosis only can be taken from the follow-up and after thoroughly retesting the patients.

A terapia da linguagem na afasia foi estudada em 15 pacientes, 8 do sexo masculino e 7 do sexo feminino; a idade variou de menos de 10 anos a mais de 50 anos; em 11 casos a afasia era sequela de acidente vascular cerebral e, em 4, de traumatismo crânio-encefálico. Quanto ao tipo de afasia, 5 pacientes apresentavam déficits predominantemente de expressão e 10 apresentavam déficits receptivos e expressivos em graus equiparáveis. Em 6 casos a terapia foi iniciada dentro dos 3 primeiros meses de instalação do quadro; nos restantes foi iniciada mais tardiamente. Dos 15 pacientes, 11 apresentaram evolução satisfatória, a qual não depndeu do grau de afasia, do tipo de afasia, da idade do paciente, do tipo de patologia e do intervalo entre a instalação do quadro afásico e o início da terapia. A terapia da linguagem no paciente afásico é efetiva, o prognóstico não pode ser feito a priori. Somente a evolução do caso com sua retestagem criteriosa poderá dar dados realmente úteis para se falar em evolução.
Idioma Português
Data de publicação 1977-12-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 35, n. 4, p. 340-345, 1977.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 340-345
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1977000400006
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:A1977EC28600006
SciELO S0004-282X1977000400006 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/169

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X1977000400006.pdf
Tamanho: 657.9KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta