Avaliacao do risco de parto prematuro atraves da autopalpacao e sa monitorizacao computadorizada da contracao uterina

Avaliacao do risco de parto prematuro atraves da autopalpacao e sa monitorizacao computadorizada da contracao uterina

Título alternativo The purpose of this study was to evaluate the relationship between uterine activity monitoring and sel-detection of uterine contractions and preterm delivery
Autor Cesar, Carla Muniz Pinto de Carvalho da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O objetivo desse estudo foi avaliar, em gestantes com antecedente de prematuridade espontanea, o risco para parto prematuro por meio da autopalpacao e da monitorizacao computadorizada da contracao uterina. Analisamos tambem, a influencia de determinadas caracteristicas maternas na percepcao da contracao uterina. Entre junho de 1997 e dezembro de 1998, a deteccao da contracao uterina foi realizada atraves da autopalpacao domiciliar , na semana anterior as consultas monitorizacao externa da contracao uterina por meio da cardiotocografia computadorizada autopalpacao no momento da monitorizacao . O teste foi considerado positivo quando a paciente apresentou 3 ou mais contracoes/hora em qualquer idade gestacional na autopalpacao domiciliar e na monitorizacao externa , e 3 ou mais contracoes/ hora ate 30 semanas e 5 ou mais apos 30 semanas na autopalpacao durante monitorizacao. A incidencia de parto prematuro espontaneo foi de 37,6 por cento. A autopalpacao domiciliar revelou sensibilidade de 53 por cento, especificidade de 47 por cento, VPP de 16 por cento e VPN de 84 por cento, para predicao do parto prematuro antes de 34 semanas de gestacao. Para predicao antes de 37 semanas, apresentou sensibilidade de 51 por cento, especificidade de 47 por cento, VPP de 37 por cento e VPN de 61 por cento. A monitorizacao externa da contracao uterina apresentou sensibilidade, especificidade, VPP e VPN de 67 por cento, 29,5 por cento, 15 por cento e 82 por cento, respectivamente para predicao do parto antes de 34 semanas. Para predicao do parto antes de 37 semanas apresentou sensibilidade, especificidade , VPP e VPN de 69 por cento, 29 por cento, 37 por cento e 61 por cento respectivamente. A autopalpacao durante a monitorizacao revelou sensibilidade de 87 por cento, especificidade de 35 por cento, VPP de 20 por cento e VPN de 93 por cento para prever o parto antes de 34 semanas. Para predicao antes de 37 semanas, apresentou sensibilidade de 74 por cento, especificidade de 34,5 por cento, VPP de 41 por cento e VPN de 69 por cento. A analise dos resultados demonstrou que a autopalpacao em ambiente hospitalar apresentou melhores resultados em relacao a realizada em ambiente domiciliar e nao foi influenciada pela idade da paciente, renda familiar e indice de massa corporea. Todos os metodos utilizados apresentaram melhores resultados na predicao do parto prematuro antes de 34 semanas. A analise dos resultados permitiu concluir que...(au)
Palavra-chave Monitorização Uterina
Trabalho de Parto Prematuro
Contração Uterina
Idioma Português
Data de publicação 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 90 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 90 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16764

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta