Infecção hospitalar em unidades de terapia intensiva pediátrica de hospital universitário de São Paulo

Infecção hospitalar em unidades de terapia intensiva pediátrica de hospital universitário de São Paulo

Título alternativo Nosocomial infections in pediatric intensive care unit in university hospital in São Paulo
Autor Abramczyk, Marcelo Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Farhat, Calil Kairalla Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Infeccao hospitalar (IH) e importante causa de morbidade e mortalidade em pacientes internados, particularmente, em unidades de terapia intensiva, devido as caracteristicas proprias dos pacientes, aos procedimentos invasivos ocasionando quebra das barreiras naturais de defesa e a utilizacao previa de antimicrobianos, com selecao de agentes patogenicos. Ha poucas referencias bibliograficas na literatura de infeccao hospitalar em unidade de terapia intensiva pediatrica. O objetivo do estudo foi de analisar as taxas de IH em unidade de terapia intensiva pediatrica, calcular a letalidade associada a IH, a pneumonia e a infeccao de corrente sanguinea, avaliar a influencia da IH sobre o tempo de internacao e verificar os agentes etiologicos prevalentes nas IH da unidade. Este estudo permitiu avaliar a epidemiologia da IH na unidade de terapia intensiva de pediatria do Hospital São Paulo (EPM-UNIFESP), no periodo de 01 de abril de 1996 a 31 de outubro de 1997,seguindo-se metodologia NNISS ( National Nosocomial Infection Surveilance System) preconizadas em hospitais americanos. Diariamente eram anotados os numeros de pacientes internados, o numero de novas admissoes, o numero de cateteres venosos centrais utilizados, o numero de cateteres vesicais e o numero de ventilacoes mecanicas. As definicoes dos sitios de infeccoes hospitalares foram as preconizadas pelo CDC (Centers for Disease Control and Prevention) de Atlanta de 1988 e diariamente as pastas dos pacientes internados na unidade eram analisadas em busca de infeccoes hospitalares, sendo os pacientes acompanhados por 48 horas apos a alta. Foi observada Incidencia de 18,43 por cento pacientes com IH ou 27,47 IH por 100 saidas. Os principais sitios de infeccao hospitalar foram as infeccoes respiratorias, seguidas pelas infeccoes de corrente sanguinea e pela infeccao de sitio cirurgico. As infeccoes hospitalares ocorreram principalmente em criancas menores de dois anos. A identificacao etiologica foi possivel em cerca de um quarto das IH e os principais agentes isolados foram as bacterias gram negativas. As leveduras foram importantes agentes etiologicos de IH da unidade. A taxa global de IH, taxa de pneumonia relacionada a ventilacao mecanica e taxa de infeccao de corrente sanguinea associada ao cateter venoso central mostraram valores superiores aos apresentados na literatura estudada. Foi observada alta taxa de letalidade associada a infeccao de corrente sanguinea,...(au)
Palavra-chave Infecção hospitalar
Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica
Idioma Português
Data de publicação 2000
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2000. 99 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 99 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16727

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta