Variabilidade microbiológica de isolados de Paracoccidioides brasiliensis obtidos de pacientes com diferentes formas clínicas

Variabilidade microbiológica de isolados de Paracoccidioides brasiliensis obtidos de pacientes com diferentes formas clínicas

Título alternativo Study of microbiological variability of Paracoccidioides brasiliensis strains from patients with diferents clinical forms
Autor Svidzinski, Terezinha Inez Estivalet Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Fishman, Olga Gompertz Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Diversos trabalhos tem demonstrado variabilidade biologica em Paracoccidioides brasiliensis. As multiplas manifestacoes clinicas da PCM e a depressao da resposta imune celular, especialmente do tipo 1, que e recuperada apos terapeutica efetiva, sao indicativos de que os processos de infeccao e evolucao da doenca dependem tambem de fatores relacionados a virulencia do agente. Com o objetivo de investigar possiveis mercadores que pudessem estar associados ao papel do agente na determinacao da forma clinica da PCM foi proposto um estudo de algumas caracteristicas microbiologicas comparando-se 30 isolados de P. brasiliensis. O primeiro grupo A', foi constituido por 15 cultivos obtidos de pacientes que desenvolveram a forma aguda da doenca. O grupo C representou os isolados de pacientes com PCM forma cronica. Os fungos, recebidos de varias procedencias, eram mantidos em laboratorio por periodos variaveis. A fim de recuperar o potencial de virulencia, supostamente atenuado durante os subcultivos in vitro, todos os fungos foram inicialmente reisolados apos desenvolvimento de orquite em hamsters. O estudo foi basicamente desenvolvido com a forma leveduriforme do fungo, obtida por cultivos em PYGA, a 35º C. Os parametros incluiram: morfologia microscopica (morfometria da celula-mae e numero de brotamentos)- velocidade de transformacao in vitro da forma miceliana para a forma leveduriforme; determinacao de curvas de crescimento; expressao da glicoproteina de 43KDa (gp43); polimorfismo isoenzimatico e determinacao do perfil de susceptibilidade, in vitro, dos isolados frente aos antifungicos empregados na terapeutica da PCM. Em todos os aspectos analisados ficou evidente a expressiva variabilidade biologica entre os isolados. Foi possivel padronizar o teste de susceptibilidade aos antifungicos atraves de adaptacoes a tecnica de referencia proposta pelo NCCLS, (l997). Os resultados mostraram-se seguros e reprodutiveis desde que se utilizem cultivos com alto grau de viabilidade celular. Foram testadas anfotericina B, 5-fluorocitosina e os azolicos itraconazol, cetoconazol e fluconazol. Frente a 5-fiuorocitosina, todos os isolados foram resistentes a concentracao iguais ou superiores a 64mg/mL da droga. Em relacao aos demais antifungicos, houve variabilidade nos titulos das ClMs nao se caracterizando, porem, nenhum caso de resistencia microbiana in vitro. As curvas de crescimento, determinadas atraves de ...(au)
Palavra-chave Paracoccidioides/classificação
Paracoccidioides/enzimologia
Paracoccidioides/efeitos de drogas
Paracoccidioides/fisiologia
Paracoccidioidomicose/microbiologia
Paracoccidioides/classification
Paracoccidioides/enzymology
Paracoccidioides/drug effects
Paracoccidioides/physiology
Paracoccidioidomycosis/microbiology
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 105 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 105 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16573

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta