Estudos psicofisiologicos de hostilidade em individuos normais r pacientes psiquiatricos

Estudos psicofisiologicos de hostilidade em individuos normais r pacientes psiquiatricos

Título alternativo Psychophysiological study of hostility in normal individual and psychiatric patients
Autor Silveira, Jose Carlos Cavalheiro da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A revisao da literatura comeca com a discussao de definicoes e o background teorico da pesquisa experimental sobre agressao. Isso e seguido por um relato de caracteristicas de longa duracao associadas com a agressao, como heranca genetica, mecanismos anatomicos e quimicos e diferencas individuais. Apos, os eliciadores imediatos do comportamento agressivo, tais como a frustracao e o ataque, sao revistos. Argumenta-se que essas variaveis podem ou nao produzir respostas agressivas dependendo de suas correlacoes com os antecedentes da pessoa e outras condicoes intervenientes tais como arousal, raiva e atribuicoes. Em cada um desses estagios, a relacao entre as variaveis e comparada. O primeiro estudo foi uma tentativa de estabelecer correlacoes significantes entre fatores fisiologicos e psicologicos e suas ligacoes com uma situacao aversiva, que foi caracterizada por competicao durante um Teste de Agressao por Subtracao de Pontos (PSAT). Os niveis de serotonina neurotransmissora foram manipulados e seus efeitos na resposta agressiva foram testados. Nenhuma reacao agressiva significativa foi demonstrada com relacao ao paradigma usado, embora a ansiedade, hostilidade e raiva fossem relatadas nas escalas clinicas . Fisiologicamente, o periodo cardiaco e os niveis de condutancia da pele nao foram influenciados pela situacao experimental. O estudo 2 descreve um teste comparativo entre dois paradigmas para provocacao de agressao: o Teste de Tempo de Reacao Competitivo (CRT) e o PSAT. Os resultados mostraram efeitos inequivocos atraves do CRT nas respostas agressivas dos sujeitos. Os auto-relatos e em menor proporcao, reacoes fisiologicas, foram influenciados pelos valores de estimulos associados ao CRT. O mesmo nao ocorreu com o PSAT. O achado mais importante foi uma discrepancia entre os auto-relatos de hostilidade medida pelo Inventario de Hostilidade de Buss-Durkee (BDHI) e a performance dos sujeitos no PSAT. O grupo de maior hostilidade respondeu menos agressivamente no teste. O terceiro estudo investigou as respostas agressivas em uma populacao clinica. Pacientes forenses com uma historia de agressao foram comparados com controles psiquiatricos casados e sujeitos normais. Mostrou-se que o CRT foi sensivel na producao de comportamento agressivo em um modo similar aquele mostrado anteriormente por outros autores em sujeitos normais. A relevancia do traco ou disposicoes a agressao (BDHI) foi uma interface construtiva...(au)
Palavra-chave Agressão
Comportamento Impulsivo
Inibidores de Captação de Serotonina
Psicofisiologia
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 259 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 259 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16568

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta