Estudo da enzima gama-glutamiltransferase na infecção crônica pelo vírus da hepatite C

Estudo da enzima gama-glutamiltransferase na infecção crônica pelo vírus da hepatite C

Título alternativo Study of the enzyme gamma glutamyltransferase in chronic hepatitis C virus infection
Autor Souza e Silva, Ivonete Sandra de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferraz, Maria Lucia Cardoso Gomes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A elevacao dos niveis da enzima gGT e encontrada com frequencia em pacientes com infeccao cronica pelo HCV. Entretanto, o real significado deste achado permanece pouco compreendido. Neste estudo, 201 pacientes com infeccao cronica pelo HCV, acompanhados no ambulatorio de hepatites da UNIFESP-EPM, foram avaliados entre 1990 e 1997, com o objetivo de compreender melhor o significado da elevacao de gGT. Para tanto, analisou-se a associacao entre niveis de gGT com caracteristicas epidemiologicas da infeccao (idade, sexo e fator de risco de transmissao da infeccao), outros parametros bioquimicas (FA, ALT e bilirrubinas) e achados histologicos a biopsia hepatica. Todos os pacientes eram anti-HCV positivos, apresentavam viremia (HCV-RNA por PCR) e foram submetidos a biopsia hepatica. A determinacao dos niveis de gGT, FA, ALT e de bilirrubinas foi obtida na mesma amostra e em pelo menos duas ocasioes, ate 6 meses antes da biopsia hepatica. Foram excluidos fatores como: abuso alcoolico, uso de drogas hepatotoxicas, estados de imunossupressao, co-infeccao com outros virus, tratamento anti-viral previo e esquistossomose. Entre os 201 pacientes estudados, a idade variou entre 13 e 71 anos, com media de 40 n 11 anos. Observou-se predominio do sexo masculino (71 por cento). A analise dos fatores de risco de transmissao da infeccao pelo HCV revelou que 53 por cento dos pacientes apresentavam fator de risco de transmissao parenteral, sendo que a transfusao de sangue e/ou derivados contribuiu com 34 por cento dos casos e o uso de DIV com 19 por cento. A gGT esteve elevada em 48 por cento dos pacientes. Dentre os parametros bioquimicas, observou-se niveis elevados de ALT na maioria dos casos (81 por cento). Niveis de FA foram normais em 93 por cento dos pacientes e de bilirrubinas em todos os pacientes estudados. Quanto aos achados histologicos, observou-se em relacao a APP, graus O-1 em 19,4 por cento; grau 2 em 49,2 por cento e graus 3-4 em 31,4 por cento. A avaliacao de AL mostrou: grau O em 6 por cento; graus 1-2 em 89 por cento e 3-4 em 5 por cento. Observou-se a fibrose grau O em 10,4 por cento; grausl-2 em 61,2 por cento e graus 3-4 em 28,4 por cento. A lesao de ducto biliar esteve presente em 35,3 por cento dos pacientes, Da analise inicial (bi-variada) realizada, observou-se associacao entre niveis elevados de gGT e as seguintes variaveis: idade (P=0,007), niveis de ALT (P=0,01), atividade necro-inflamatoria ...(au)
Palavra-chave Hepacivirus
gama-Glutamiltransferase
Hepatite Crônica
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 93 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 93 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16487

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta