Analise da infusao curta ambulatorial do metotrexato em doses intermediarias em criancas portadoras de leucemia linfoide aguda

Analise da infusao curta ambulatorial do metotrexato em doses intermediarias em criancas portadoras de leucemia linfoide aguda

Título alternativo Short-time infusion of intermediate methotrexate dose on an outpatient basis, in children with acute lymphoblastic leukemia
Autor Lee, Maria Lucia de Martino Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A Leucemia Linfoide Aguda (LLA) exemplifica um dos grandes sucessos terapeuticas da moderna oncologia pediatrica. A preocupacao com os efeitos tardios associados ao tratamento, especialmente com a radioterapia craniana, impulsionou a busca de diferentes modalidades terapeuticas para a profilaxia do SNC. Dentro deste conceito o metotrexate utilizado em esquemas de doses intermediarias (500 mg a l g/m2) ou altas (2g a 33,6 g/m2) foi alvo de varios estudos. No presente estudo, este e utilizado na dose de 2 g/m2 em infusao curta ambulatorial. Casuistica e metodos: foram analisados, no periodo de julho de 1994 a dezembro de 1998, 55 pacientes portadores de LLA em tratamento no Setor de Oncologia Pediatrica do Departamento de Pediatria da UNIFESP-EPM. Todos foram tratados de acordo com o Protocolo GBTLI LLA - 93 e realizaram a fase de intensificacao com o uso de MTX na dose de 2 g/m2 /dia, em infusao curta ambulatorial. Apos a realizacao do MTX ambulatorial (Dl), os pacientes eram orientados de acordo com a folha de cuidados de enfermagem e retomavam para avaliacao clinica/laboratorial nos dias seguintes (D2 e D3). Resultados: Os 55 pacientes elegiveis realizaram o total de 206 ciclos. Tiveram idade media de 5,5 anos, com igual distribuicao entre os sexos; 71 por cento foram eutroficos e 27 por cento classificados como desnutricao proteico-energetica (DPE). Em 87 por cento dos ciclos, ocorreu adesao ao tratamento. Toxicidade, quando observada, foi basicamente leve ou moderada. O grupo que recebeu um menor volume de hidratacao apresentou maior incidencia de toxicidade hepatica. Nao foi constatada toxicidade cumulativa no decorrer d realizacao dos 4 ciclos de MTX. Os pacientes desnutridos nao apresentaram maior incidencia de toxicidade associada ao esquema utilizado. Os niveis sericos medios de MTX se sobrepuseram aos niveis observados na curva de excrecao simulada experimentalmente. A comparacao dos niveis sericos medios de MTX, entre o grupo de pacientes recidivados com o grupo geral, nao demonstrou diferencas significativas. Foi possivel manter a intensidade da dose preconizada pelo protocolo. Nenhum obito decorrente de toxicidade associada ao esquema ambulatorial foi observado. A curva de sobrevida global, apos 36 meses de seguimento, foi de 86 por cento, e a sobrevida livre de doenca 81 por cento, demonstrando que a mudanca na forma de administracao do MTX nao modificou as curvas de sobrevida para LLA infantil descritas ...(au)
Palavra-chave Metotrexato
Leucemia Linfoide
Quimioterapia
Criança
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 134 p. tabgraf.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 134 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16473

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta