Perfil da indicação de analgésicos opióides em recém-nascidos em ventilação pulmonar mecânica

Perfil da indicação de analgésicos opióides em recém-nascidos em ventilação pulmonar mecânica

Título alternativo Profile of opioid prescriptions for intubated and mechanically ventilated neonates
Autor Castro, M. Cristina F.z. Autor UNIFESP Google Scholar
Guinsburg, Ruth Autor UNIFESP Google Scholar
Almeida, Maria Fernanda Branco de Autor UNIFESP Google Scholar
Peres, Clovis de Araujo Autor UNIFESP Google Scholar
Yanaguibashi, Gianni Autor UNIFESP Google Scholar
Kopelman, Benjamin Israel Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objective: to identify factors that affect the decision of prescribing opioids for intubated and ventilated neonates Method: retrospective study of intubated and ventilated newborn infants for periods longer than one hour, admitted to the NICU from January 1995 to June 1997. During this period, 203 patients fulfilled inclusion criteria and data of 176 charts were reviewed. Charts were analyzed regarding demographic data, characteristics of analgesia and respiratory support, invasive procedures performed and clinical entities diagnosed during the period of mechanical ventilation. Discriminative analysis was used to understand factors that lead to opioid use by some of these patients. Results: Ninety-seven neonates received at least one dose of opioids during the period of mechanical ventilation. None of these patients was evaluated with pain scales, and in 63% of them we could not retrieve any reason for opioid prescription in their charts. Discriminative analysis showed that the main differences between groups were birthweight, gestational age, oxygenation index at intubation, and number of arterial sticks during the first 72 hours of mechanical ventilation. The most mature and heaviest neonates with a more severe respiratory insufficiency received opioid analgesia during ventilation. Conclusion: the decision to use opioids in intubated and ventilated neonates was based on the infants' aspect and respiratory status. It did not consider the pain these patients might be suffering and it was not based on the evaluation of pain.

Objetivo: identificar fatores que levaram os médicos a prescreverem opióides a recém-nascidos em ventilação mecânica. Método: estudo retrospectivo de pacientes em ventilação mecânica por cânula traqueal, por mais de 1 hora, internados em UTI neonatal entre janeiro de 1995 a junho de 1997. Nesse período, 203 recém-nascidos preencheram o critério de inclusão, recuperando-se 176 prontuários. Os prontuários foram analisados quanto a dados demográficos, características da analgesia e do suporte ventilatório, procedimentos invasivos realizados e entidades mórbidas diagnosticadas durante o período de ventilação. Para entender os fatores que determinaram o uso da analgesia em parte dessa população, utilizou-se a análise discriminante. Resultados: Nos 97 pacientes que receberam > 1 dose de opióides durante a ventilação, a analgesia foi iniciada, em média, até 24 horas após o início da ventilação. As escalas de avaliação da dor não foram usadas em nenhum paciente e, em 63%, não havia relato do motivo para a analgesia. A análise discriminante mostrou que as variáveis que diferenciaram os grupos submetidos ou não à analgesia foram: peso ao nascer, idade gestacional, índice de oxigenação e número de punções arteriais. Os neonatos com maior chance de receberem alguma dose de opióide durante a ventilação foram os de peso mais elevado, idade gestacional mais avançada, índice de oxigenação mais acentuado no início da ventilação e maior necessidade de gasometrias, ou seja, os bebês mais maduros e com doença respiratória mais grave. Conclusão: os médicos não levam em conta a dor propriamente dita e nem a avaliam para decidirem pela necessidade de analgesia no neonato em ventilação
Palavra-chave pain
newborn infant
analgesia
dor
recém-nascido
analgesia
Idioma Português
Data de publicação 2003-02-01
Publicado em Jornal de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria, v. 79, n. 1, p. 41-48, 2003.
ISSN 0021-7557 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Pediatria
Extensão 41-48
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572003000100008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0021-75572003000100008 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1644

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0021-75572003000100008.pdf
Tamanho: 56.83KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta