Modificação nos sistemas de fosforilação proteíca de células LLC-PK, na depleção de ATP: avaliação por desidrogenase láctica

Modificação nos sistemas de fosforilação proteíca de células LLC-PK, na depleção de ATP: avaliação por desidrogenase láctica

Título alternativo Alteration in LLC-PK, protein phosphrylation mechanisms during ATP depletion assessed by LDH
Autor Goncalves, Elsa Alidia Petry Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Santos, Oscar Fernando Pavão dos Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Os eventos intracelulares que ocorrem devido a deplecao de ATP em celulas tubulares durante a insufiCiência renal aguda ativam proteinas de sinalizacao. Utilizando um modelo de deplecao de ATP com antimicina A (AMC), que inibe o transporte mitocondrial de eletrons, em associacao com a deprivacao de glicose (G), celulas LLC-PK1 (tubulo proximal) foram tratadas com AMC 50 mM por 3 horas apos 24 horas de ausencia de G. A porcentagem de liberacao de desidrogenase latica (DHL) foi calculada a fim de avaliar os efeitos de inibidores algumas das proteinas de sinalizacao, que foram os seguintes: genisteina (GEN, 50 mM) ou metilcinnamato (CIN, 5 mM), ambos inibidores da proteina tirosina quinase (TK); caliculin A (CAL, 5 nM), inibidor de fosfatase; e calphostin C (CAC, 50 nM) ou phorbol-l2-myristate-l3-acetate (PMA, 100 ou 200 nM), ambos inibidores da proteina quinase C (PKC); os agentes foram incubados l hora antes de AMC, exceto PMA que foi incubado 24 horas antes da adicao de AMC. Apos a inibicao de TK houve uma reducao significativa na liberacao de DHL apenas quando GEN foi usada (GEN + AMC: 14,7 por cento n 6,4, n=1O vs AMC 27,2 por cento n 4,5, n=5, p< O,05). Estes resultados podem dever-se a dose utilizada, ja que esta dose de GEN e eficaz em inibir nao somente a fosforilacao do substrato, mas tambem a autofosforilacao da proteina. Este efeito nao ocorre com a dose utilizada de CIN. Apos o uso de CAL nao houve alteracao significativa na porcentagem de liberacao de DHL (CAL+AMC 38,6 por cento n 1O,7, n=l1 vs AMC 36,1 por cento n 4,5, n=8, p=O,5). Durante os experimentos utilizando inibidores de PKC observou-se um significante aumento na liberacao de DHL com ambas as drogas (CAC + AMC 43 por cento n 8, n=1O, vs AMC 35 por cento n 8 n=11 , p< O,05; PMA 200 nM + AMC 40,7 por cento n 6,7, n= 9, vs AMC 33,0 por cento n 4,2, n= 8, p<O,O5). Elevacoes na concentracao de calcio intracelular apos estimulo agudo com AMC (10 mM) de forma fasica e sustentada (porcentagem de resposta a digitonina, 41,6 por cento, n=9) corroboram com a provavel relacao entre proteinas de sinalizacao, especialmente PKC. e deplecao de ATP. Estes resultados sugerem que um complexo mecanismo de fosforilacao proteica esta envolvido nos eventos que induzem injuria celular durante a deplecao de ATP
Palavra-chave Hipóxia celular
Proteína Tirosina Quinase p56(lck) Linfócito-Específica
Cálcio
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 75 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 75 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16367

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta