Eficacia e seguranca do sotalol versus a quinidina na manutencao do ritmo sinusal apos reversao de fibrilacao atrial

Eficacia e seguranca do sotalol versus a quinidina na manutencao do ritmo sinusal apos reversao de fibrilacao atrial

Título alternativo Efficacy and safety of sotalol versus quinidine for the maintenance of sinus rhythm after conversion of atrial fibrilation
Autor Veloso, Henrique Horta Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Com a finalidade de comparar a eficacia e a seguranca das terapias com o sotalol e com a quinidina no tratamento de manutencao do ritmo sinusal apos a cardioversao quimica ou eletrica de um episodio de fibrilacao atrial sustentada de ate seis meses de duracao, foram analisados, por meio de um estudo multicentrico prospectivo randomizado e aberto, 121 pacientes. Setenta e um pacientes eram do sexo masculino e 50, do sexo feminino. A idade variou de 25 a 75 anos, com uma mediana de 56 anos. Cinquenta e seis (46 por cento) pacientes apresentavam fibrilacao atrial isolada e 65 (54 por cento) pacientes tinham algum tipo de cardiopatia estrutural. Foram excluidos os pacientes com insufiCiência cardiaca congestiva em classe funcional III ou IV. A fracao de ejecao de ventriculo esquerdo menor que 40 por cento e o diametro atrial esquerdo maior que 5,2 cm tambem foram criterios de exclusao. O diametro medio do atrio esquerdo foi de 39 n 6 mm e a fracao de ejecao media do ventriculo esquerdo, de 68 n 9 por cento. Cinquenta e oito pacientes (48 por cento) nunca haviam apresentado episodios previos de fibrilacao atrial. Oitenta pacientes (66 por cento) puderam relatar, com certeza, o inicio da arritmia, sendo 49 (61 por cento) com fibrilacao atrial de inicio recente (<72 horas) e 31 (39 por cento) com fibrilacao atrial de longa duracao (>72 horas). Cinquenta e oito pacientes foram randomizados para a terapia com o d,l-sotalol, na dose de 160 a 320 mg/dia, e 63 pacientes para a terapia com o sulfato de quinidina, na dose de 600 a 800 mg/dia. Apos seis meses de acompanhamento, pelo metodo de Kaplan-Meier, as probabilidades de sucesso foram comparaveis entre as terapias com o sotalol (74 por cento) e com a quinidina (68 por cento). Entretanto, as recorrencias foram mais tardias nos pacientes tratados com o sotalol em comparacao aos tratados com a quinidina (69 versus 10 dias, p<O,O5). Nos pacientes cardiovertidos de um episodio de fibrilacao atrial de inicio recente, o sotalol foi mais eficaz que a quinidina (93 por cento versus 64 por cento, p=O,Ol), enquanto que nos pacientes com fibrilacao atrial de longa duracao, a quinidina foi mais eficaz que o sotalol (68 por cento versus 33 por cento, p<O,O5). Quatro pacientes apresentaram eventos pro-arritmicos, tres (5 por cento) em uso do sotalol e um (2 por cento) em uso da quinidina, todos com a terapia diuretica em concomitancia. Durante as recorrencias de fibrilacao atrial, as frequencia...(au)
Palavra-chave Fibrilação Atrial
Arritmias Cardíacas
Antiarrítmicos
Sotalol
Quinidina
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 171 p. ilus., tab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 171 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16335

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta