Uso de bombas de infusao na terapia intravenosa em criancas assistidas em unidades de cuidados intensivos pediatricos

Uso de bombas de infusao na terapia intravenosa em criancas assistidas em unidades de cuidados intensivos pediatricos

Título alternativo The use of infusion pumps in intravenous therapy in children assited in PICU: contribiution of clinical and technicos study
Autor Pedreira, Mavilde da Luz Goncalves Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Pesquisa descritiva e relacional que objetivou estudar o uso de bombas de infusao na terapia intravenosa em criancas internadas em 21 Unidades de Cuidados Intensivos Pediatricos do municipio de São Paulo. A amostra foi constituida de 110 enfermeiros com media de cinco anos de trabalho em UCIP, a maioria realizou curso de especializacao e adquiriu conhecimento sobre bombas de infusao por meio de aprendizado informal. Foram identificadas 346 bombas de infusao sendo 62,1 por cento do tipo volumetrico, 30,4 por cento fluxometrico e 7,5 por cento de seringa; 50,3 por cento destes equipamentos tinham mecamismo peristaltico rotatorio, 22,2 por cento de cassete, 20,0 por cento peristaltico linear e 7,5 por cento de seringa. Estes equipamentos, segundo maior parte da amostra, nao eram submetidos a manutencao preventiva, eram operados por enfermeiros e auxiliares de enfermagem para infusao continua de soros de manutencao, de Nutricao Parenteral Prolongada e de drogas vasoativas. Ocorrencias adversas devidas a bomba de infusao foram identificadas por 95,5 por cento dos enfermeiros e devidas ao profissional por 98,2 por cento. Ocorrencias adversas devidas a bomba, associaram-se menos as bombas volumetrica de cassete e de seringa, e mais as bombas peristalticas, dentre estas, foi estatisticamente significante para maior numero de ocorrencias, a bomba volumetrica peristalfica rotatoria. Uso de bombas com sistema de prevencao, reduziram significantemente as ocorrencias devidas ao profissional: erro de programacao (p<O,OOl), fluxo livre (p<O,OOl) e infusao de ar (p=O,OO2). Eventos clinicos decorrentes de ocorrencias adversas foram indicados pela maioria dos enfermeiros, destacando-se alteracoes metabolicas e circulatorias. Complicacoes do tipo infiltracao, obstrucao e flebite foram as mais identificadas; bombas de infusao com alarme de oclusao e controle de pressao de infusao reduzem significantemente a identificacao de obstrucao do acesso (p=O,OO4), porem nao interferem na identificacao de infiltracao (p=O,682), suspensoes que esta poderia ser detectada por bombas de infusao, com a instalacao de alarme de queda de pressao no sistema de infusao
Palavra-chave Bombas de Infusão
Enfermagem Pediátrica
Infusões Intravenosas
Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 212 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 212 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16297

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta