Formação do stratum corneum in vitro e in vivo no enxerto de queratinócitos cultivados e derme acelular humana: estudo histológico e da capacitância elétrica superficial

Formação do stratum corneum in vitro e in vivo no enxerto de queratinócitos cultivados e derme acelular humana: estudo histológico e da capacitância elétrica superficial

Título alternativo Stratum corneum formation in vitro and in vivo in the graft of cultured keratinocytes and human acellular dermis: histologic and superficial electrical capacitance study
Autor Gragnani, Alfredo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O restabelecimento da barreira da epiderme e um fenomeno definitivo e essencial na cobertura das lesoes. Para a determinacao da formacao da barreira epidermica em relacao a hidratacao do stratum comeum (SC), foi medida a capacitancia eletrica superficial (SEC) da epiderme em enxerto de queratinocitos cultivados e derme acelular humana in vitro e in vivo. A medida da SEC in vitro foi realizada 24 h apos a elevacao dos enxertos compostos a interface ar-liquido durante 30 dias. Os enxertos compostos (n=6) apresentaram baixos valores da SEC entre o quarto e o sexto dia apos a elevacao a interface ar-liquido, mostrando a formacao da barreira; voltando aos valores elevados entre o decimo quarto e vigesimo sexto dia, exibindo a deterioracao da barreira. A avaliacao microscopica dos enxertos compostos in vitro (n=6) demonstrou a formacao parcial da camada cornea no terceiro dia e completa no setimo dia apos a elevacao a interface ar-liquido. A medida da SEC e a avaliacao microscopica delimitaram a formacao do SC entre o quarto e o sexto dia. Os enxertos compostos in vitro foram transplantados para o dorso de 5 ratos atimicos apos 10 dias em cultura. A auto-enxertia de pele foi realizada em 3 ratos. A medida da SEC dos enxertos compostos, auto-enxertos e pele normal do rato foi avaliada nos dias 4, 7, 10, 14, 17, 21, 24, 28 e 31 apos o transplante, e foi mantido o baixo valor da SEC antes da enxertia, sugerindo que a interface ar-liquido favoreceu a maturacao do enxerto composto in vitro. Nao foi observada diferenca estatistica entre os enxertos compostos, auto-enxertos de rato e a pele normal do rato. A contracao dos enxertos compostos e auto-enxertos em relacao a area original da lesao no dorso do rato foi avaliada nos periodos da medida da SEC, evidenciando contracao maior dos enxertos compostos apos a retirada do curativo, no setimo dia. Quando comparada com os auto-enxertos de rato, a contracao dos enxertos compostos foi significativamente maior. A medida da SEC e uma tecnica nao invasiva que determina um indice quantitativo da formacao da barreira, que pode ser empregada em estudos experimentais e clinicos na definicao do restabelecimento da barreira da epiderme
Palavra-chave Técnicas de cultura de células
Engenharia biomédica
Transplante de pele
Epiderme
Eletrofisiologia
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 154 p. ilus.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 154 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16282

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta