Sinaptogênese hipocampal no modelo experimental de epilepsia induzida por pilocarpina

Sinaptogênese hipocampal no modelo experimental de epilepsia induzida por pilocarpina

Título alternativo Hippocampal sinaptogenesis in the experimental model of epilepsy induced by pilocarpine
Autor Mori, Mayra Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Naffah-Mazzacoratti, Maria da Graça Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A Pilocarpina (PILO), um agonista colinergico muscarinico, administrada em ratos induz crises limbicas e status epilepticus (SE), que dura de 8 a 18 horas (fase aguda). A seguir os animais apresentam uma normalizacao comportamental e eletrografica (fase silenciosa) que dura de 4 a 44 dias; passando posteriormente a apresentar crises espontaneas e recorrentes (fase cronica), ate o final da vida, mimetizando assim, a epilepsia do lobo temporal, observada em seres humanos, Estas crises sao acompanhadas por lesao cerebral e modificacoes neuroquimicas, incluindo aumento da liberacao de algumas monoaminas e aminoacidos no hipocampo. A sinaptofisina (p38) e a mais abundante fosfoproteina associada a vesicula sinaptica. Muitos trabalhos tem demonstrado que esta proteina esta relacionada a liberacao de neurotransmissores e a sinaptogenese porem, pouco se sabe sobre a sua funcao no fenomeno epileptico. Este trabalho tem como objetivo estudar as modificacoes na expressao de p38 em sinaptossomas hipocampais nas fases aguda (l hora de SE); Silenciosa (5 dias) e Cronica (90 dias) do modelo de epilepsia induzido por PILO. Ratos Wistar machos receberam PILO (350 mg/kg) e foram decapitados apos l hora de SE, 5 dias apos SE e 90 dias apos o SE. Um grupo de ratos que recebeu PILO e nao evoluiu para SE tambem foi estudado (parcial). Os hipocampos foram removidos e submetidos a um fracionamento subcelular para obtencao de fracoes enriquecidas de sinaptossomas (Nagy & Delgado-Escueta, 1984). Esta preparacao foi submetida a tecnica de Western blotting, sendo utilizado anticorpo monoclonal contra p38. Realizou-se tambem a imunohistoquimica do hipocampo destes animais com o objetivo de localizar as possiveis alteracoes na expressao desta proteina. A densitometria optica do Western blotting mostrou um aumento de p38 em sinaptossomas hipocampais nas tres fases do modelo, quando comparados aos animais que receberam solucao salina. A imunohistoquimica mostrou que este numero esta concentrado na sub-area de CA3, no giro denteado e no hilo hipocampal. Estes achados neuroquimicos podem contribuir para uma melhor compreensao dos mecanismos de liberacao de neurotransmissores, apos um insulto cerebral, mostrando ainda a ocorrencia de mudancas plasticas permanentes, que podem contribuir para um funcionamento anormal da neurotransmissao hipocampai, durante o fenomeno epileptico
Palavra-chave Hipocampo
Epilepsia
Pilocarpina
Sinaptofisina
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 117 p. ilus., tab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 117 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16193

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta