Avaliação da resposta terapêutica a três diferentes esquemas antiretrovirais em portadores de HIV-1 sem tratamento prévio e com deterioração imunológica, considerando características genéticas do hospedeiro e virais

Avaliação da resposta terapêutica a três diferentes esquemas antiretrovirais em portadores de HIV-1 sem tratamento prévio e com deterioração imunológica, considerando características genéticas do hospedeiro e virais

Título alternativo Assessment of the therapeutic response of three different antiretroviral regimens in HIV-1 previously untreated immunodeficient patients, considering the host and viral genetic characteristics
Autor Accetturi, Conceicao Aparecida Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lewi, David Salomao Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A Sindrome da lmunodeficiência Adquirida (Aids) vem acometendo milhoes de individuos em todo o mundo, caracterizando uma grave pandemia, ainda incontrolavel. Inumeros sao os esforcos mundiais para melhor se conhecer a fisiopatogenia e a historia natural da infeccao pelo Virus da lmunodefiCiência Humana (HIV), em seus varios aspectos. Nao sabemos ainda por que motivo alguns individuos sao constantemente expostos ao HIV e nao se infectam, assim como nao sabemos porque diferentes individuos infectados evoluem de formas distintas, mesmo quando a fonte de infeccao e a mesma. Fatores proprios do hospedeiro parecem contribuir para as diferencas verificadas na infectividade e evolucao clinica da infeccao. Estudos recentes demonstraram que individuos que sao homozigotos para a mutacao s32 no gene que codifica o receptor de quimoquinas CCR5 (CCR5s32/s32) sao altamente resistentes a infeccao pelo HIV-1, e os heterozigotos para o alelo mutante progridem mais lentamente para a doenca, quando comparados aos homozigotos para a normalidade. Tambem a presenca do alelo mutante CCR2-64I no gene que codifica o receptor de quimoquinas CCR2 foi associada com progressao mais lenta para a doenca. Para avaliar a correlacao entre a diversidade genetica dos genes que codificam os receptores de quimoquinas CCR5 e CCR2 em pacientes infectados pelo HIV-1 e a resposta terapeutica a diferentes esquemas antiretrovirais, assim como a participacao do subtipo genetico do HIV-1 envolvido, estudamos prospectivamente, entre abril de 1995 e maio de 1997, 177 pacientes portadores de HIV-1 virgens de tratamento antiretroviral, todos com defiCiência de imunidade celular medida pela contagem de linfocitos T CD4+ menor que 350 celula/mm3. Os pacientes foram randomizados de forma cega para receber um de tres esquemas terapeuticas especificos para infeccao por HIV-1, sendo que 33 por cento foi alocado no grupo l para receber terapia dupla IDV + AZT; 35 por cento no grupo 2, para receber monoterapia com IDV; e 32 por cento no grupo 3, para receber monoterapia com AZT. Uma vez que o estudo se iniciou em abril de 1995, tais esquemas terapeuticas, incluindo monoterapias, eram aceitos pela comunidade cientifica. No entanto, a partir de maio de 1996, apos a divulgacao de informacoes que aboliam a monoterapia com analogos nucleosideos como opcao terapeutica eficaz, fomos obrigados a, ainda de forma cega, incluir um segundo analogo nucleosideo ...(au)
Palavra-chave Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
HIV
Receptores de quimiocinas
Idioma Português
Data de publicação 1999
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1999. 112 p. ilus., tab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 112 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16171

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta