Meningite de aquisicao hospitalar em pacientes submetidos a craniotomia: incidencia, evolucao e fatores de risco

Meningite de aquisicao hospitalar em pacientes submetidos a craniotomia: incidencia, evolucao e fatores de risco

Título alternativo Nosocomial meningitis after craniotomy: incidence, progress and risk factors
Autor Reichert, Magaly Cecilia Franchini Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo As infeccoes hospitalares no sistema nervoso central sao graves complicacoes adquiridas no ambiente hospitalar. Entre estas infeccoes a meningite e a mais frequente. Este estudo permitiu analisar a incidencia de meningite pos-craniotomia, os agentes etiologicos, a taxa de mortalidade, os fatores de risco, o tempo de desenvolvimento desta infeccao e o efeito da meningite no tempo de hospitalizacao dos pacientes internados na Unidade de Neurocirurgia do Hospital São Paulo. Foram estudados 50 pares de pacientes (casos e controles) pareados pelos criterios idade, similar diagnostico e procedimento cirurgico e, mesmo periodo de realizacao da cirurgia. A incidencia de meningite pos-craniotomia foi de 8,9 por cento , num total de 50 casos em 559 craniotomias realizadas. Os agentes etiologicos mais frequentes isolados na cultura do LCR foram os bacilos gram-negativos, representando 77,8 por cento dos agentes isolados. A taxa de mortalidade entre os casos foi de 30 por cento . O tempo de desenvolvimento da meningite pos-craniotomia em 70 por cento dos casos aconteceu do segundo ao decimo dia apos a cirurgia, a media do tempo de ocorrencia foi de 10,14 n 7,24 dias e mediana de oito dias. O tempo medio de hospitalizacao para os casos foi de 42,9 n 22,1 dias com mediana de 36,5, para os controles foi de 19,0 n 11,4 dias com mediana de 16 dias (p = O,00001) , o que denotou um aumento medio de hospitalizacao de 23,9 dias, representando um acrescimo de 125,7 por cento sobre a media de permanencia dos pacientes sem meningite. Embora diversos fatores de risco tenham sido identificados na analise univariada como presenca de DVE no pos-operatorio (OR = 2,92, IC 95 por cento = 1,245 - 6,865, p = O,014), infeccao em outro sitio antes da meningite (OR = 2,85, IC 95 por cento = O,995 - 8,173, p = O,051) e reoperacao (OR = 5,02, IC 95 por cento = 1,569 - 16,066, p = O,007) apenas a reoperacao permaneceu no modelo final da analise multivariada como significante (OR = 3,68, IC 95 por cento = 1,158 - 11,700, p = O,027). Desta forma a meningite pos-craniotomia apresentou uma alta mortalidade, um aumento no tempo de permanencia desses pacientes no hospital e entre os fatores de risco o unico fator identificado na analise multivariada foi a reoperacao
Palavra-chave Meningite
Craniotomia
Infecção Hospitalar
Fatores de Risco
Idioma Português
Data de publicação 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 81 p. tab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 81 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/16086

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta