Avaliacao comparativa de esquemas pre-exposicao para imunizacao anti-rabica humana no Brasil, atraves da analise da imunidade humoral

Avaliacao comparativa de esquemas pre-exposicao para imunizacao anti-rabica humana no Brasil, atraves da analise da imunidade humoral

Título alternativo Comparative evaluation of pre-expossure schedules for human anti-rabies immunisation used in Brazil
Autor Silva, Andrea de Cassia Rodrigues da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O tratamento preventivo pre-exposicao contra a raiva humana usado rotineiramente no Brasil, com emprego de doses de l ml de vacina de tecido nervoso de camundongos lactentes, tipo Fuenzalida e Palacios (F&P), administradas nos dias O, 2, 4 e 28, foi comparado a um tratamento alternativo com 2 doses de l ml da mesma vacina no dia O e doses de l ml aplicadas nos dias 7 e 21. O primeiro esquema induziu altos titulos de AcN no dia 21. Ambas vacinas anti-rabicas brasileiras produzidas com virus PV ou CVS foram testadas. Dois grupos adicionais de voluntarios, recebendo o esquema de imunizacao pre-exposicao e o esquema abreviado de pos-exposicao recomendando pela OMS, usando vacina de cultura-celular (VCC) produzida com amostra de virus rabico PM, foram incluidos como referencia. Os niveis de AcN foram medidos contra ambas amostras virais PV e CVS, nas amostras de soro coletadas nos dias 21, 42 e 180, pelo microteste de soroneutraiizacao em cultura celular. A vacina F&P-PV induziu taxas de soroconversao e titulos de AcN no dia 21 mais altos do que as vacinas F&P-CVS. Entretanto, ambas falharam no que diz respeito a manutencao de imunidade por longo periodo, uma vez que os titulos de Acn de 50 por cento dos voluntarios foram <O,5 Ul/mi no dia 180, sem considerar o esquema de imunizacao usado. A vacina de cultura celular induziu sempre, titulos de Acn muito altos em todos os dias de coleta. Quando amostras de soro de pessoas que haviam recebido vacina de tecido nervoso foram tituladas contra as amostras PV e CVS, os titulos de AcN obtidos foram bastante similares, nao considerando-se a amostra vacinar e o virus usado no teste de soroneutralizacao. Estes resultados contrastaram com aqueles obtidos com soros de pessoas que receberam VCC-PM, dos quais os titulos de AcN foram significativamente maiores quando testados contra a amostra CVS
Palavra-chave Raiva
Imunização
Vacinas
Vacinas Antirrábicas
Idioma Português
Data de publicação 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 70 p. ilustab.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 70 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15961

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta