Gasto energetico em repouso de pacientes diabeticos com insufiCiência renal cronica

Show simple item record

dc.contributor.author Avesani, Carla Maria [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T22:59:58Z
dc.date.available 2015-12-06T22:59:58Z
dc.date.issued 1998
dc.identifier.citation São Paulo: [s.n.], 1998. 94 p. ilustab.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15928
dc.description.abstract No diabetes mellitus (DM) mal controlado ocorre elevacao taxa da neoglicogenese que, alem de aumentar o catabolismo proteico, possui um alto custo energetico e promove elevacao gasto energetico em repouso (GER). Pouco se sabe sobre metabolismo energetico e proteico quando a patologia renal e diabetica estao associadas. Assim o objetivo deste estudo foi o d verificar se pacientes renais cronicos diabeticos apresentam GE aumentado, quando este e comparado com o de renais cronicos nao diabeticos. Para tanto foram estudados pacientes na fase pre-dialitica, que foram divididos em um grupo chamado d IRCDiabetes formado por 24 pacientes renais cronicos diabeticos, outro, composto por 24 pacientes renais cronicos nao diabeticos pareados de acordo com o sexo, a idade e o grau de funcao renal. GER foi medido atraves da calorimetria indireta de circuito aberto, apos O jejum de 12 horas. Os pacientes tambem foram avaliados em relacao ao seu estado nutricional, por meio de parametros antropometricos e bioquimicas. A composicao corporal foi estimada atraves de densltometria de duplo foton. Ja a inGestão alimentar, por registro alimentar de 4 dias, e a taxa do catabolismo proteico (PCR) foi estimada pela formula de Sargent e Gotch. A maioria dos pacientes estudados nao apresentou sinais indicativos de desnutricao energetico-proteica. O grupo IRCDiabetes apresentou uma media de massa corporal magra (MCM) semelhante a do IRCControle (respectivamente 75,1 kg n1O,6 versus 75,4 kg n8,86) . A analise dos registros alimentares demonstrou que a inGestão energetica (kcal/kg/dia) nao diferiu de forma significante entre os grupos e que, em media, se encontrava abaixo do recomendado para esta populacao (IRCDiabetes 23,4 n5, versus IRCControle 24,8 n6,9). Em relacao a inGestão proteic observou-se que, tanto aquela estimada pelo registro alimenta quanto a revelada pelo PCR, foi significantemente maior no grup IRCDiabetes (inGestão proteica de O,89 n O,20 g/kg/dia no grupo IRCDiabetes versus O,76 nO,25 g/kg/dia no grupo IRCControle; p@O,02. PCR de I,21 nO,32 g/kg/dia no grupo IRCDiabetes versus 1,03 n O,22 g/kg/dia; p = O,02). Alem disto esteve acima do recomendado em ambos os grupos. O GER dos diabetico s - foi significantemente maior do que o de renais cronicos nao diabeticos, tanto no seu valor absoluto (kcal/dia) (respectivamente 1538 n 230 versus 1339 n 315; p = O,O09), quanto no ...(au) pt
dc.format.extent 94 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Metabolismo Energético pt
dc.subject Insuficiência Renal Crônica pt
dc.subject Diabetes Mellitus pt
dc.title Gasto energetico em repouso de pacientes diabeticos com insufiCiência renal cronica pt
dc.title.alternative Energy expense in rest for diabetic patients with chronic kidney fsilure en
dc.type Dissertação de mestrado
dc.identifier.file epm-015605.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account