Contribuição ao tratamento cirúrgico do megacólon congênito clássico e de segmento longo pela técnica de Duhamel, utilizando-se pinças ou grampeador cirúrgico

Contribuição ao tratamento cirúrgico do megacólon congênito clássico e de segmento longo pela técnica de Duhamel, utilizando-se pinças ou grampeador cirúrgico

Alternative title Contribuition to surgical treatment of classical and long segment Hirschsprung's disease using Duhamel's original procedure or modified Duhamel procedure with gastrointestinal autosuture
Author Peterlini, Fábio Luís Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Martins, José Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Abstract No periodo de setembro de 1981 a janeiro de 1998, 43 pacientes foram submetidos ao tratamento cirurgico do megacolon congenito classico e de segmento longo, na Disciplina de Cirurgia Pediatrica da UNIFESP-EPM. A casuistica constou de 30 pacientes do sexo masculino (69,7 por cento) e 13 do sexo feminino (30,3 por cento), sendo 30 brancos (69,7 por cento ) e 13 nao brancos (30,3 por cento ), com media etaria de 44 meses no momento do abaixamento. A partir do diagnostico clinico, radiologico e manometrico, os pacientes foram submetidos a laparotomia, para estabelecimento anatomopatoiogico da zona de transicao e realizacao de colostomia em 2 bocas na flexura hepatica dos colons. Dentre os pacientes, 23 apresentaram megacolon classico (53,5 por cento ) e 20, megacolon de segmento aganglionar longo (46,5 por cento ). Por volta de 2 a 6 meses apos a colostomia, os pacientes foram submetidos ao abaixamento de colon ganglionar pela tecnica de DUHAMEL, sendo que em 21 pacientes utilizou-se a tecnica das pincas, grupo com pincas, e nos outros 22, utilizou-se grampeador cirurgico, grupo com grampeador Cerca de 4 a 6 meses apos o abaixamento de colon, os pacientes foram submetidos a reconstrucao do transito intestinal pelo fechamento da colostomia. Nao houve mortalidade peri-operatoria. Ocorreram complicacoes pos-operatorias graves em 6 pacientes (l 3,9 por cento ), todos pertencentes ao gnipo com pincas (28,6 por cento ). Nos pacientes do grupo com grampeador, a media de internacao foi de 5,5 dias, enquanto que no grupo com pincas, 19,5 dias. Em 12 pacientes (27,9 por cento ), houve a recidiva da sintomatoiogia de obstipacao e o manchar de roupas intimas, devidos a presenca de esporao, sendo 8 (38.1 por cento ) do grupo com pincas e 4 (l 8,2 por cento ) do grupo com grampeador. Ocorreram estenoses da anastomose colorretal em 3 pacientes (6,97 por cento ), sendo 2 (9,1 por cento ) do grupo com grampeador e l (4,8 por cento ) do grupo com pincas. Dada a menor permanencia hospitalar, ausencia de complicacoes pos-operatorias e tendencia a menor incidencia de esporao pos-operatorio, acreditamos que o uso de grampeador cirurgico resulta em nitida vantagem sobre a tecnica das pincas
Keywords Doença de Hirschsprung/cirurgia
Grampeadores cirúrgicos
Complicações pós-operatórias
Language Portuguese
Date 1998
Published in São Paulo: [s.n.], 1998. 66 p.
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 66 p.
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15852

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account