Teste do BTA no diagnostico do carcinomade celulas de transicao da bexiga

Teste do BTA no diagnostico do carcinomade celulas de transicao da bexiga

Título alternativo BTA test in the diagnosis of transitional cells carcinoma of the bladder
Autor Souza, Ricardo Luiz Coutinho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Este estudo procurou determinar o valor diagnostico do teste do BTA, comparando-o com a citologia oncotica urinaria por filtragem, usando como padrao a cistoscopia e o exame histopatologico. Foram realizados o teste do BTA e a citologia na urina de 101 individuos com idade entre 40 e 91 anos (media de 58), dos quais 31 eram portadores de tumor de bexiga e 70 (grupo-controle) nao apresentavam tumor vesical. Dentre estes ultimos, 30 apresentavam hiperplasia prostatica, 20 tinham calculo renal e 20 nao eram portadores de qualquer patologia. O teste do BTA foi realizado antes da cistoscopia, da biopsia e da resseccao, na urina natural e na urina adicionada de sangue do proprio paciente. Os exames citologico e histopatologico foram realizados sem o conhecimento previo do resultado destes testes. O teste do BTA foi tao sensivel quanto a citologia oncotica por filtragem (71 por cento vs 58 por cento ; p=O,75), porem, foi menos especifico (84,3 por cento vs 98,6 por cento ; p=O,Ol), apresentou uma razao de verossimilhanca (likelihood ratao) para resultados positivos muito mais baixa (41,42 vs 4,52) e um menor valor predictivo positivo (66,6 por cento vs 94,7 por cento ). A presenca de calculo renal influenciou os resultados do teste do BTA (p=O,O2), mas, a adicao de sangue a urina nao o fez (p=O,50). O grau de malignidade, o estadio patologico, a forma e o numero de tumores, bem com a presenca de hiperplasia prostatica nao influenciaram os resultados da citologia oncotica nem do teste do BTA. Tanto os resultados da citologia (p=O,O455) quanto os do teste do BTA (p=O,OO8l9) foram influenciados pela area da base do tumor. Um resultado de citologia oncotica positivo com teste do BTA negativo apresentou 75 por cento de probabilidade de acerto, enquanto que no caso inverso esta probabilidade foi de apenas 39 por cento . Verificou-se ainda que quando ambos os testes foram negativos houve 9 por cento de chance de existir tumor e quando ambos foram positivos esta possibilidade foi de IOO por cento . No entanto, o grau de concordancia dos dois exames foi pequeno (K=0930). Concluimos que o teste do BTA nao substitui a citologia oncotica no diagnostico do tumor de bexiga mas pode ser um exame auxiliar desta, principalmente nas lesoes iniciais e nas de baixo grau
Palavra-chave Neoplasias da Bexiga Urinária/diagnóstico
Carcinoma de Células de Transição/diagnóstico
Testes de Fixação do Látex
Antígenos
Antígenos de Neoplasias
Idioma Português
Data de publicação 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 78 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 78 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15837

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta