Utilização in vitro de um peptídeo sintético análogo a cecropina (D5C) como agente antimicrobiano perante patógenos oculares, em solução desinfectante de lente de contato e em meio de preservação de córnea

Utilização in vitro de um peptídeo sintético análogo a cecropina (D5C) como agente antimicrobiano perante patógenos oculares, em solução desinfectante de lente de contato e em meio de preservação de córnea

Título alternativo Utilization
Autor Sousa, Luciene Barbosa de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Scarpi, Marinho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Cecropinas sao peptidios de defesa isolados da hemolinfa de alguns invertebrados. Possuem baixo peso molecular, sao basicas e tem capacidade de apresentar estrutura anfoterica perante membranas celulares. Apresentam amplo espectro de acao antimicrobiana contra bacterias gram-negativas e gram-positivas, fungos e alguns protozoarios. A atividade antimicrobiana, in vitro, de diferentes concentracoes de um peptidio analogo a cecropina, D5C, perante patogenos oculares foi avaliada em solucao tamponada de fosfato de sodio, em solucoes desinfectantes de lentes de contato e em meio de preservacao de cornea, em investigacao realizada em conjunto com o Departamento de Oftalmologia e o Departamento de Patologia Clinica da Faculdade de Veterinaria da Universidade da California - Davis, EUA. Foram utilizadas cepas virulentas de Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis, Streptococcus pneumoniae, Pseudomonas aeroginosa, Serratia marcescens e Candida albicans, isoladas de ceratites de humanos. Os inoculos, ajustados a uma concentracao de 1,0 x 105 -107 CFU/ml, foram semeados, em duplicata, em placas de Petri e, apos 24 horas de incubacao, contavam-se as colonias existentes. Na presenca de solucao tamponada de fosfato de sodio, a 37ºC, com 30 e 90 minutos de exposicao, observou-se uma reducao de pelo menos 3 log10 na populacao microbiana inicial, em concentracoes de D5C maiore ou iguais a 5 µg/ml, sendo esta atividade antimicrobiana, dose e tempo de exposicao dependentes. Com a imersao de uma lente de contato hidrofilica nas solucoes desinfectantes de lente de contato comercialmente disponiveis, Renu© e Opti-Free©, o peptideo foi avaliado em uma concentracao de 100 µg/ml, a 27ºC, apos meia hora, uma hora e meia, 24 horas, 48 horas e 72 horas de exposicao. A presenca do peptidio determinou uma maior reducao na populacao microbiana inicial, em relacao as solucoes desinfectantes utilizadas. Observou-se ainda, uma potencializacao da atividade antimicrobiana das solucoes existentes utilizadas, com a adicao do peptidio, tendo sido menor esse efeito na presenca de Opti-Free©. Na avaliacao da atividade antimicrobiana do peptidio em meio de preservacao de cornea Optisol© feita nas temperaturas de 4ºC e 27ºC, observou-se uma reducao de 1 log10 na populacao microbiana inicial contra S. epidermidis e S. aureus, em concentracoes iguais ou maiores que 100 µg/ml. Essa atividade antimicrobiana foi dose...(au)
Palavra-chave Peptídeos
Infecções Oculares
Ceratite
Lentes de Contato/efeitos adversos
Transplante de Córnea/efeitos adversos
Peptides
Eye Infections
Keratitis
Contact Lenses/adverse effects
Corneal Transplantation/adverse effects
Idioma Português
Data de publicação 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 207 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 207 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15719

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta