Soroepidemiologia do vírus da hepatite C e fatores de risco para sua aquisição na Casa de Detenção de São Paulo

Mostrar registro simples

dc.contributor.advisor Castelo Filho, Adauto [UNIFESP]
dc.contributor.author Guimarães, Thaís [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T22:59:41Z
dc.date.available 2015-12-06T22:59:41Z
dc.date.issued 1998
dc.identifier.citation São Paulo: [s.n.], 1998. 55 p.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15693
dc.description.abstract O vírus da hepatite C é considerado o principal agente causador de hepatite pós transfusional. A via parenteral parece ser sua mais eficiente via de transmissão através de trnasfusões de sangue e derivados, e sobretudo, através do compartilhamento de material para o uso de drogas ilícitas. Elevadas prevalências foram encontradas em grupos específicos, considerados de alto risco para a aquisição do HCV, incluindo a população de institui'oes penais. Taxas variáveis de soroprevalência da infecção pelo HCV, entre usuários de drogas, foram descritas em vários países, habitualmente refletido a soroprevalência da região servida pela respectiva penitenciária e o grau de exposição dos detentos aos fatores de risco para infecção pelo HCV. O presente estudo teve como objetivos: 1) determinar a prevalência do HCV na população carcerária da Casa de Detenção de São Paulo; 2) identificar os fatores de risco associados à aquisiçào da infecçào pelo HCV e; 3) comparar a prevalência obtida do HCV com a de outros agentes de transmissão sexual e/ou sangüínea. No período de dezembro de 1993 a janeiro de 1994 foram coletadas 779 amostras de sangue dos detentos com a respectiva aqplicação dos questionários sobre variáveis relacionadas com possíveis formas de aquisição do HCV. Sorologia para decteção de anticorpos de anticorpos anti-HCV foi realizada em 756 amostras. A detecção de anticorpos anti-HCV resultou positiva em 310 (41(por cento)) amostras; negativa em 425 (56,2(por cento) e indeterminada em 21 (2,8C(por cento)). A soroprevalência dos outros agentes estudados foi: 68,1(por cento) por hepatite B; l3,7(por cento) para HIV e 3,3(por cento) para lues (VDRL). A análise de regressão logística múltipla identificou como fatores de risco independente associados à soropositividade ao HCV: 1) presença de VDRL positivo; 2) tempo do atual encarceramento > 130 meses; 3) passagem prévia pela própria Casa de Detenção de São Paulo e; 4) uso de drogas ilícitas antes do ingresso na penitenciária. Concluímos que a soroprevalência de anticorpos contra o HCV foi de 41(por cento) contra HBV, HIV e lues e foi respectivamente: 68,1(por cento), 13,7(por cento) e 3,3(por cento). Identificamos quatro fatores de risco independentes para a aquisição do HCV e que a presença destes conjuntamente estima uma probabilidade superior a 82(por cento) de aquisição para o vírus C.
dc.format.extent 55 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Hepatite C pt
dc.subject Hepacivirus pt
dc.subject Fatores de risco pt
dc.subject Prisões pt
dc.title Soroepidemiologia do vírus da hepatite C e fatores de risco para sua aquisição na Casa de Detenção de São Paulo pt
dc.title.alternative Soroprevalence of hepatitis C virus infection and risk factors in Penithentiary Institution of São Paulo en
dc.type Dissertação de mestrado
dc.identifier.file epm-015354.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt



Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples