Mapeamento do epitopo de células T do antígeno principal de diagnóstico do paracoccidioides brasilienses, indutor de resposta imune protetora do tipo Th1 contra a infecção experimental em camundongo

Mapeamento do epitopo de células T do antígeno principal de diagnóstico do paracoccidioides brasilienses, indutor de resposta imune protetora do tipo Th1 contra a infecção experimental em camundongo

Título alternativo Mapping of the T-cell epitope in the major antigen in the diagnosis of paracoccidioides braziliensis inducer of a Th-1 immune response against the experimental infection im mice
Autor Taborda, Carlos Pelleschi Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Travassos, Luiz Rodolpho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A glicoproteína de 43 kDa do Paracoccidioides brasiliensis é o principalantígeno diagnóstico da paracoccidioidomicose, micose sistêmica prevalente na América Latina. Além de induzir altos títulos de anticorpos, a gp43 é também imunodominante nas reações de hipersensibilidade do tipo tardio em animais e humanos infectados. A resposta imune em camundongos imunizados com gp43 na presença de adjuvante completo de Freund envolve linfócitos T CD4+ Th1, secretando INF-y e IL-2 mas não IL-4 e IL-10. O epitopo de célula T desse antígeno foi mapeado a partir de um peptídio de 15 amino-ácidos obtido através de ensaios de linfoproliferação com células de camundongo de três diferentes haplótipos e análise proteíca por computador. A estrutura mínima exigida para o epitopo de células T foi determinada pelo teste de uma série de peptídios análogos ou truncados do P10. Somente peptídios com 12 ou mais amino ácidos eram ativos, confirmando a apresentação pelo sistema de MHC classe II. o "core" interno formado pelos amino ácidos HTLAIR é essencial para o epítopo, podendo ser utilizadas várias regiões flanqueadoras. A imunização de camundonggos com a gp43 ou P10 induziu a uma significativa proteção em camundongos Balb/c, desafiados intra-traquealmente com leveduras virulentas de P. brasiliensis, apresentando um número 200 vezes menor de CFUs no pulmão em relação aos animais não induzidos. O efeito protetor do P10 é principalmente atribuído á resposta imune celular medida pelo IFN-y. Somente a gp43 era capaz de induzir uma resposta com anticorpos compatível com ativação de células Th1 e Th2 em camundongos Balb/c infectados, enquanto que P10 não induziu resposta humoral. A proteção induzida pela gp43 ou P10 era caracterizada por poucas leveduras viáveis em granulomas epitelióides bem delimitados nos pulmões ou por lesões resolvidas com fúngicas não detectáveis. Camundongos INF-y-/- eram muito susceptíveis à infecção intratraqueal pelo P. brasiliensis com alta mortalidade e morbidade, caracterizada pela intensa proliferação fúngica e disseminação para o fígado e baço. Contrariamente ao tipo selvagem, todos os animais Kos morreram após 5 semanas de infecção pelo fungo.
Palavra-chave Paracoccidioides
Vacinas
Antígenos
Peptídeos
Imunidade Celular
Paracoccidioides
Vaccines
Antigens
Immunity, Cellular
Idioma Português
Data de publicação 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 134 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 134 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15615

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta