Avaliação do segmento anterior do olho com seio camerular oclusivo pela biomicroscopia ultra-sônica

Avaliação do segmento anterior do olho com seio camerular oclusivo pela biomicroscopia ultra-sônica

Título alternativo Evaluation of the anterior eye segment with occlusive camerular sinus by biomicroscopic ultrasonography
Autor Pereira, Ana Cláudia Alves Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Mello, Paulo Augusto de Arruda Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A UBM constitui-se um novo recurso diagnóstico, com potencial de elucidar as relaçöes anatômicas que säo a base de inúmeras doenças do segmento anterior do olho, principalmente do glaucoma. O estudo da configuraçäo do seguimento anterior, por meio desse mótodo, tem permitido definir as anormalidades anatômicas e entender os vários mecanismos físicos que levam os olhos anatomicamente predispostos (olhos com ângulos oclusivos) ao fechamento angular. Sabe-se que estes olhos apresentam características biométricas próprias. Decidimo-nos entäo estudá-los, através da UBM, quantificando suas estruturas internas, antes e após a prova de pronaçäo em quanto escuro (PPQE), bem como antes e após a iridotomia a laser, com o intuito de analisar as alteraçöes que ocorrem nesses olhos, após estes procedimentos. Para tal, foram selecionados 25 olhos de l7 pacientes, entre 42 a 73 anos de idade (média 57,5 anos), apresentando câmara anterior rasa na avaliaçäo à lâmpada de fenda (classificaçäo de VAN HERICK et al., 1969) e ângulos graus III e IV, pela classificaçäo gonioscópica de SCHEIE(1957). Numa primeira fase, a PPQE foi positiva em l6 (64(por cento)) olhos e negativa em 9(36(por cento)). Os olhos com prova positiva submetidos à iridotomia a laser, e deram prosseguimento à segunda fase do estudo. Nesta, 87,5(por cento) dos olhos negativaram a prova. Observou-se que após a PPQE houve uma reduçäo significante na amplitude do ângulo e na profundidade da câmara anterior, tanto nos olhos com PPQE positiva quanto negativa, nas duas fases do estudo. Nos olhos positivos, no entanto, a reduçäo foi maior. Osvalores médios observados para estas variáveis, nos períodos pré e pós-pronaçäo na primeira fase foram respectivamente: ll,42 ñ 4,8§ e l,75 ñ 2,0§, para a medida do ângulo camerular; 1,820 ñ 0,2 mm e 1,770 ñ 0,2 mm para profundidade da câmara anterior. Após a iridotomia houve um aumento significante na amplitude do ângulo e da câmara anterior. Os valores médios encontrados na segunda fase, nos periodos pré e pós-pronaçäo, foram respectivamente: 17,93 ñ 2,5§ e 12,03 ñ 2,8º para a medida do ângulo e 1,860 ñ 0,2 mm e 1,830 ñ 0,2 mm para a profundidade da câmara. Nota-se que a reduçäo observada na segunda fase foi significantemente menor, ou seja, houve apenas um estreitamento do ângulo e da câmara anterior, e näo mais a sua oclusäo. O ângulo do corpo ciliar apresentou um valor médio de 36,55 ñ 7,4º, passando a 29,67 ñ 10,2º após a PPQE. Na segunda fase ...(au).
Palavra-chave Glaucoma de ângulo fechado
Pressão intraocular
Biometria
Terapia a laser
Idioma Português
Data de publicação 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 137 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 137 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15605

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta