Estudo do gene da glicoquinase em famílias brasileiras com suspeita de diabete melito da maturidade no jovem e estudo da secreção de insulina e pró-insulina nos indivíduos afetados

Estudo do gene da glicoquinase em famílias brasileiras com suspeita de diabete melito da maturidade no jovem e estudo da secreção de insulina e pró-insulina nos indivíduos afetados

Título alternativo Glycokinase gene in Brazilian families under suspicion of adult onset diabetes mellitus in the young and insulin and pro-insuline secretions in the affected persons
Autor Pardini, Victor Cavalcanti Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Russo, Ewaldo Mario Kuhlmann Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O diabete melito da maturidade no jovem (DMMJ) é caracterizado pelo seu aparecimento precoce (25 anos) e herança genética autossômica dominante. DMMJ é uma síndrome geneticamente heterogênea, sendo que mutaçöes do gene da enzima glucokinase (GCK) säo a sua causa mais freqüente, na França. Através da técnica do polimorfismo de conformaçäo de fitas simples (SSCP) näo radioativa foi realizado o estudo do gene da GCK em 17 famílias com suspeita clínica de DMMJ. As bandas com migraçäo anômala observadas foram seqüenciadas. Foram encontradas mutaçöes nos exons 7 e 9 do gene da GCK em duas famílias (Q e P), respectivamente, e uma alteraçäo no exon 1 na família J. Neste caso, a filha do propósito apresentou uma variaçäo homozigótica em dois exons (1a e 1b), que sugere um polimorfismo, uma vez que a ausência da funçäo da GCK é aparentemente incompatível com a sobrevivência. A família Q apresentou uma mutaçäo no exon 7, transformando uma glutamina em códon de parada na posiçäo 248, que foi detectada no propósito e em três filhos. Os demais membros da família que näo eram diabéticos, inclusive os pais do propósito, näo apresentaram a mutaçäo. O estudo de impressöes digitais de DNA confirmou a paternidade, sendo este indivíduo a primeira mutaçäo desta família. A família P apresentou uma mutaçäo no exon 9, transformando de valina para um códon de parada na posiçäo 401. A alteraçäo foi dectada no propósito, no seu filho, e em 5 de seus irmäoa que apresentavam hiperglicemia. A mutaçäo näo foi encontrada na mäe, na tia e na irmä do propósito, todas com obesidade e diabete näo insulino-dependente de desenvolvimento tardio. O pai do propósito, já falecido (portador obrigatório) näo foi testado. Teste oral de tolerância à glicose (TTG) foi realizado nas famílias com mutaçäo na GCK para estudo da secreçäo de insulina e pró-insulina, utilizando para isto, ensaios específicos. Verificamos que a secreçäo de insulina encontrava-se diminuida nos indivíduos GCK-mutantes em ambas as famílias. A secreçäo de pró-insulina encontrava-se dentro dos valores da normalidade nos indivíduos da família Q e aumentada nos indíduos da família P. Com três indivíduos desta última família apresentavam diabete sem mutaçäo para o gene da GCK, isto sugeria a presença de outro gene diabetogênico nesta família. A pró-insulina esteve positivamente correlacionada à obesidade (r=o,66; p<0,0001) e foi a variável independente que mais se associou ao índice da massa corporal...(au).
Palavra-chave Diabetes mellitus
Glucoquinase
Polimorfismo conformacional de fita simples
Proinsulina
Insulina
Diabetes mellitus tipo 2
Idioma Português
Data de publicação 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 144 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 144 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15604

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta