Epidemiologia da colonização ou infecção por Candida spp. em pacientes internados em unidade de terapia intensiva

Epidemiologia da colonização ou infecção por Candida spp. em pacientes internados em unidade de terapia intensiva

Título alternativo Epidemiology of Candida ssp colonization or infection in patients in intensive care units
Autor Marino, Cristiane Grande Jimenez Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Durante as quatro últimas décadas assistimos a um aumento da incidência das infecçöes causadas pelas espécies de Candida em pacientes graves. Muitos relatos da literatura indicam uma correlaçäo entre a candidíase hospitalar, particularmente a candidemia, e altas taxas de letalidade. Estudamos a prevalência e os fatores de risco para a colonizaçäo ou infecçäo por leveduras do gênero Candida em pacientes de Unidade de Terapia Intensiva, e também identificamos as espécies isoladas nestes pacientes. Foram estudados 190 pacientes que permaneceram internados na UTI do Hospital Israelita Albert Ainstein entre 01 de dezembro de 1995 e 31 de julho de 1996 através de coleta de dados clínicos, epidemiológicos e microbiológicos de forma ativa e prospectiva. Na presença de cultura positiva para leveduras, foi realizada a identificaçäo pelo método tradicional. A prevalência de colonizaçäo ou infecçäo por Candida spp. em diversos sítios foi de 22,6 por cento. A prevalência de infecçäo por Candida spp. nos pacientes colonizados foi de 17 por cento. A infecçäo do trato urinário foi a mais freqüente entre elas, contribuindo com 57 por cento do total de infecçöes por leveduras. A candidemia ocorreu em 2,4 por cento dos pacientes colonizados. Neste caso, o agente isolado foi Candida albicans. Houve um predomínio de Candida albicans nas culturas positivas para fungos. Esta espécie esteve presente em 67,4 por cento dos casos, seguida por C. glabrata (16,3 por cento), C. krusei (7,0 por cento, C. parapsilosis (4,7 por cento), C. tropicalis (2,3 por cento), e C. guilhemondii (2,3 por cento). O tempo médio de internaçäo para a presença de uma cultura positiva para fungos foi de 8,3 dias. Após a regressäo logística multivariada quatro variáveis permaneceram, apresentando forte tendência de associaçäo independente para a colinizaçäo ou infecçäo por Candida spp. A idade maior que 60 anos (odds ratio igual a 2,49, intervalo de confiança de 95 por cento entre 1,07 e 5,85) foi o único fator de risco independente estatísticamente significante. As variáveis: APACHE II maior que 20 (odds ratio igual a 1,93, intervalo de confiança de 95 por cento entre 0,90 e 4,15); presença de sonda de demora (odds ratio igual a 6,99, intervalo de confiança de 95 por cento entre 0,89 e 5,55) e presença de infecçäo bacteriana prévia (odds ratio igual a 6,85, intervalo de confiança de 95 por cento entre 0,64 e 7,35) mostraram estar fortemente associadas ao evento....(au).
Palavra-chave Candida
Candidíase
Unidades de terapia intensiva
Infecção hospitalar
Idioma Português
Data de publicação 1998
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1998. 99 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 99 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15601

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta