Repercussões da lesão de repercussão por oclusão temporária supra-celíaca da aorta em cães

Repercussões da lesão de repercussão por oclusão temporária supra-celíaca da aorta em cães

Autor Pinheiro, Bruno do Valle Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Romaldini, Hélio Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A oclusao temporaria da aorta, necessaria durante procedimentos cirurgicos, determina, alem de alteracoes hemodinamicas, uma condicao de isquemia-reperfusao capaz de induzir alteracoes sistemicas, inclusive em orgaos localizados a distancia, como os pulmoes, similar a outras situacoes de hipoperfusao e reperfusao sistemicas, como no choque circulatorio. Entre diferentes mediadores participantes da lesao de reperfusao, as especies reativas toxicas do oxigenio (E.R.T.O.) tem sua participacao ja comprovada. Em funcao de sua conhecida acao anti-oxidante, a N-acetilcisteina (NAC) foi usada nesse modelo de lesao de reperfusao, com o objetivo de verificar seus efeitos sobre a lesao pulmonar, alteracoes hemodinamicas e capacidade de utilizacao de oxigenio pelos tecidos. Dezoito caes foram divididos em dois grupos: grupo isquemia-reperfusao (GIR, N=9), e grupo N-acetilcisteina (GNAC, N=9). Todos os animais foram mantidos anestesiados com pentobarbital sodico, em ventilacao espontanea. A oclusao supra-celiaca da aorta foi obtida com a insuflacao de um cateter de Fogarty, inserido atraves da arteria femoral. Apos 60 minutos de isquemia, procedeu-se a desinsuflacao do balao, acompanhando o animal durante 60 minutos de reperfusao. No GNAC, antes da reperfusao administrou-se 150 mg/kg de NAC, mantendo-se a infusao de 20mg/kg ao longo da reperfusao. Os caes do GNAC apresentaram menor edema pulmonar ao estudo morfometrico. A administracao de NAC promoveu uma menor elevacao da diferenca alveolo-arterial de oxigenio, entretanto diminuiu a hiperventilacao em resposta a acentuada acidose metabolica presente na reperfusao. Nao houve diferenca entre os dois grupos quanto a pressao parcial de oxigenio no sangue arterial. A hipotensao que se seguiu a desoclusao da aorta foi mais acentuada no GNAC, atingindo menores valores de pressao arterial sistemica media e indice de resistencia vascular sistemica. A NAC induziu a uma menor recuperacao da extracao do oxigenio pelos tecidos apos a reperfusao, com manutencao de niveis elevados de lactato ao longo da reperfusao, ao contrario da reducao do lactato encontrada no GIR. Concluimos que a administracao de NAC nesse modelo reduziu a lesao pulmonar de reperfusao, entretanto intensificou a vasodilatacao apos a desoclusao da aorta, prejudicou a compensacao ventilatoria da acidose metabolica e a utilizacao do oxigenio pelos tecidos apos a reperfusao
Palavra-chave Reperfusão
Acetilcisteína
Hemodinâmica
Consumo de oxigênio
Idioma Português
Data de publicação 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 170 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 170 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15560

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta