Respostas metabólicas e cardiorrespiratórias ao exercício máximo e submáximo em meninas eutróficas e com desnutrição pregressa

Respostas metabólicas e cardiorrespiratórias ao exercício máximo e submáximo em meninas eutróficas e com desnutrição pregressa

Autor Fernandez, Ana Cláudia Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Silva, Antonio Carlos da Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo No presente estudo foram analisadas as respostas metabolicas e cardiovasculares ao exercicio de meninas eutroficas e com desnutricao pregressa, com o objetivo de verificar se a desnutricao pregressa, alem de causar deficit na estatura da crianca tambem poderia estar causando uma limitacao funcional a capacidade de realizacao de exercicio maximo e submaximo em bicicleta ergometrica. Foram selecionadas meninas moradoras de favelas de São Paulo, segundo os criterios de estatura/idade e peso/estatura de acordo como o percentil 50 (NCHS). Na selecao de meninas eutroficas utilizou-se nivel de corte de 90 -110% para peso/estatura e &#61619; 95% para estatura/idade de adequacao. O nivel de corte para o grupo com desnutricao pregressa foi de 90 -110% para peso/estatura e < 95% para estatura/idade. A metodologia utilizada constou da avaliacao clinica, para deteccao de possiveis contra-indicacoes ao exercicio que causariam a exclusao do voluntario e teste ergoespirometrico em bicicleta ergometrica, a partir do qual foram obtidas as variaveis metabolicas e cardiorrespiratorias analisadas. O protocolo de teste utilizado foi de 2 min. iniciais a 25 watts, seguidos de incrementos de 15 watts a cada 2 minutos, ate a exaustao. Nossa casuistica constituiu-se de 24 meninas, sendo 12 eutroficas com valores (media ± DP) de idade 9,13 ± 0,79 anos; peso 27,64 ± 3,64 kg; e altura 131,31 ± 6,04 cm; e 12 com desnutricao pregressa, com valores (media ± DP) de idade 9,75 ± 1,10 anos; peso 25,16 ± 2,33 kg; e altura 125,06 ± 3,90 cm. Na analise dos resultados dos testes de esforco maximo nao foram observadas diferencas entre o grupo de meninas eutroficas (E) e o grupo de meninas com desnutricao pregressa (D) para nenhuma das variaveis analisadas: VO2max l/min. (E = 1,11 ± 0,25; D = 1,02 ± 0,19), VO2max ml/min/kg (E = 40,23 ± 6,98; D = 40,53 ± 6,32), VEmax (E = 40,61 ± 8,79; D = 38,25 ± 8,95), R (E = 1,13 ± 0,07; D = 1,13 ± 0,05), FCmax (E = 195,33 ± 9,13; D = 193,85 ± 11,18), %FCmax prev (E = 92,87 ± 4,33; D = 92,80 ± 4,87) e Watts max (E = 90,00 ± 20,56; D = 91,25 ± 11,33). A analise dos resultados do teste de esforco submaximo, representado pela intensidade de esforco no limiar anaerobio (LA), apresentou diferencas entre os grupos para as seguintes variaveis: VO2 l/min LA (E = 0,77 ± 0,14; D = 0,62 ± 0,13)% VO2max (E = 70,07 ± 7,52; D = 61,21 ± 9,83), FC LA (E = 166,58 ± 14,25; D = 146,33 ± 17,40), % FCmax LA (E = 85,31 ± 6,41; D = 75,50 ± 7,73), VE LA (E = 24,18 ± 5,81; D = 17,69±4,30), % VEmax LA (E = 59,64 ± 8,45; D = 46,95 ± 10,59). Nao foram encontradas diferencas entre os grupos para: VO2 ml/min/kg LA (E = 28,06 ± 4,87; D = 24,81 ± 5,31) e Watts LA (E = 51,25 ± 17,47; D = 45,00 ± 9,77).Concluimos que o restabelecimento da relacao peso para estatura em criancas com desnutricao pregressa, considerado como criterio de eutrofia, e valido tambem para indicar ausencia de limitacao funcional da capacidade de realizacao de exercicio.
Palavra-chave Criança
Exercício
Transtornos nutricionais
Idioma Português
Data de publicação 1977
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 72 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 72 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15530

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta