Perfil do processamento auditivo de um grupo de escolares do Município de Marília

Perfil do processamento auditivo de um grupo de escolares do Município de Marília

Autor Cardoso, Ana Claudia Vieira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Borges, Alda Christina Lopes de Carvalho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Este estudo mostra a analise do Processamento Auditivo de 64 escolares, sendo 22 sem historia de retencao escolar e 42 com historia de retencao, da Rede de Ensino do Municipio de Marilia, procurando possiveis associacoes entre prejuizo da acuidade ou das habilidades de Localizacao Sonora, de Memoria Sequencial Verbal e Nao Verbal e Repetencia Escolar. Utilizamos, como instrumento de avaliacao do Processamento Auditivo, a Avaliacao Audiologica Basica (Audiometria Tonal Liminar e Medidas de Imitancia Acustica) e testes de Localizacao Sonora, Memoria Sequencial Verbal e Nao Verbal e Reflexo Cocleo-Palpebral, propostos por PEREIRA (1993). Para a analise dos resultados, consideramos o limiar de audibilidade normal ou alterado, tipo de curva timpanometrica e limiar do Reflexo Acustico normal ou alterado, segundo a variavel grupo, e alem das alteracoes nas habilidades de Localizacao Sonora, Memoria Sequencial Verbal e Nao Verbal e a ocorrencia do Reflexo Cocleo-Palpebral, segundo as variaveis sexo, faixa etaria e grupo. Desses resultados, constatamos que o limiar de audibilidade encontrava-se alterado nas frequencias altas, em 10 a 20% dos escolares com historia de retencao. Encontramos um predominio de curva timpanometrica do tipo A, em ambos os grupos. Observando um numero maior de escolares, de ambos os grupos, com Reflexo Acustico alterado na frequencia sonora de 4000 Hz, constatamos que, em ambos os grupos, 1/3 de escolares apresentavam habilidade de Localizacao Sonora alterada e 50%, alteracao de Memoria Sequencial Nao Verbal. Encontramos duas vezes mais alteracao na habilidade de Memoria sequencial Verbal no grupo de escolares com historia de retencao. Observamos ainda a presenca do Reflexo Cocleo-Palpebral em 80% dos escolares testados, de ambos os grupos. O perfil da avaliacao do Processamento Auditivo mostrou que a prevalencia do numero de respostas alteradas, em ambos os grupos, variava de 77,3% (grupo sem retencao) a 95,4% (grupo com retencao). Os resultados deste estudo justificam a implantacao de triagem auditiva na pre-escola, a fim de detectarmos precocemente as alteracoes auditivas e intervirmos antes que a crianca ingressasse no Primeiro Grau
Palavra-chave Audição
Percepção Auditiva
Idioma Português
Data de publicação 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 100 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 100 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15464

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta