Análise imunohistoquímica da hiperplasia prostática com a proteína S-100 após termoterapia transuretral

Análise imunohistoquímica da hiperplasia prostática com a proteína S-100 após termoterapia transuretral

Autor Nardozza Júnior, Archimedes Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Sadi, Marcus Vinicius Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Neste trabalho estudamos as alteracoes histologicas e a variacao serica nos niveis do antigeno prostatico especifico (PSA) em pacientes portadores de hiperplasia prostatica que foram previamente submetidos a termoterapia por radiofrequencia. Trinta pacientes com idade entre 53 e 83 anos (media de 68,8 anos) foram divididos em 4 grupos. No grupo l ou grupo controle (N = 6) os pacientes foram submetidos somente a cirurgia prostatica (adenomectomia transvesical). No grupo ll (N = 8) os pacientes foram submetidos a cirurgia 7 dias apos a termoterapia por radiofrequencia. No grupo lll (N = 8) os pacientes foram submetidos a cirurgia 15 dias apos a termoterapia. No grupo lV (N = 8) os pacientes foram submetidos a cirurgia 30 dias apos a termoterapia. A termoterapia por radiofrequencia foi realizada a nivel ambulatorial em sessao unica com duracao de 3 horas com uma temperatura de 47ºC nao necessitando de anestesia. A prostata foi analisada do ponto de vista histologico atraves da coloracao com hematoxilina-eosina e por tecnicas imunohistoquimicas, utilizando-se a proteina S-100 para identificacao das terminacoes nervosas. Nos grupos ll, lll e lV observamos um aumento significante nos niveis de PSA 7 dias apos a termoterapia quando comparados aos niveis iniciais (p > 0,05). No grupo lV nota-se diferenca significante entre os valores de PSA 7 dias apos termoterapia comparados aos valores obtidos 30 dias apos termoterapia (p > 0,05). Em todos os grupos nao houve diferenca significante entre os valores iniciais de PSA quando comparados aos valores apos o procedimento cirurgico (p > 0,05). Do ponto de vista histologico observamos um predominio de areas de necrose, com ausencia de S-100 nas prostatas analisadas 7 dias apos a termoterapia (grupo ll). No grupo lll houve um predominio de areas de hemorragia com ausencia de S-100. No grupo IV houve um predominio de areas de fibrose com ausencia de S-100. O grupo controle mostrou uma distribuicao homogenea da proteina S-100 (S-100+). Concluimos que a termoterapia por radiofrequencia altera inicialmente os niveis de PSA e que os mesmos retornam aos valores iniciais apos 30 dias. Do ponto de vista histologico existe necrose importante com destruicao das terminacoes nervosas demonstradas atraves de tecnicas imunohistoquimicas. Estes achados sugerem que a melhora clinica dos pacientes submetidos a termoterapia por radiofrequencia possa estar relacionada a destruicao das terminacoes nervosas
Palavra-chave Hiperplasia prostática
Temperatura alta
Imuno-histoquímica
Idioma Português
Data de publicação 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 110 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 110 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15415

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta